Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Interligação da nova adutora do Italuís entra em nova etapa

A Companhia de Saneamento Ambiental (Caema) manteve o abastecimento prioritário feito por caminhões-pipa em alguns bairros

Foto: Reprodução

Os trabalhos para a interligação da nova adutora do Sistema Italuís continuam dentro do cronograma estipulado. Nessa quinta-feira (17), foi dado início ao preparo para o chamado envelopamento da adutora. O objetivo é envolver a adutora com cimento. São dez caminhões betoneiras para essa parte da operação.

Paralelamente, a Companhia de Saneamento Ambiental (Caema) manteve o abastecimento prioritário feito por caminhões-pipa em órgãos públicos e alguns bairros – entre eles o Anjo da Guarda e a Cidade Operária.

“É um bloco de concreto bastante robusto. São dez caminhões. Isso é uma necessidade para ter a segurança do sistema operacional”, explica o presidente da Caema, Carlos Rogério, sobre a operação no Italuís. Uma mistura especial ajuda o concreto a secar mais rápido. O concreto vai ajudar a dar mais estabilidade à interligação.

A previsão é que os trabalhos para interligação da nova adutora sejam concluídos no início da tarde do sábado (19). A partir daí, o abastecimento começa a voltar gradualmente aos 159 bairros de São Luís abastecidos pelo Italuís.

Como a água percorre um longo percurso, as diferentes regiões da cidade não terão água ao mesmo tempo. Em bairros mais altos, por exemplo, o abastecimento demora mais para voltar. Parte das casas deve receber água só no domingo.

A nova adutora está sendo interligada para colocar fim às frequentes interrupções no abastecimento causadas pela estrutura precária da antiga adutora, que sofreu o impacto da falta de investimentos necessários nas últimas décadas.

“A intervenção está dentro do cronograma. A nossa previsão, portanto, de voltar com o sistema no sábado ao meio-dia está mantida”, disse o presidente da Caema.

Caminhões-pipa

Até a volta do abastecimento, a Caema vai continuar com a circulação de caminhões-pipa para fazer o chamado abastecimento prioritário. São hospitais e postos de saúde, por exemplo. E também bairros mais carentes.

“Estamos fazendo a oferta de água e atendendo as comunidades mais carentes com o sistema de carro-pipa que está em plena operação”, afirmou Carlos Rogério.

Um dos bairros pelos quais os caminhões passaram nesta quinta-feira foi a Vila Izabel. “Eu não tenho poço, a maior parte dos moradores não tem. Então a gente vai usar a água para cozinhar e lavar louça”, conta a moradora Odila Silva Farias.

Vice-presidente de uma associação de moradores, Rosalino Almeida afirma que os caminhões-pipa têm “grande importância para melhorar a qualidade de vida nesse período”, embora frise que os veículos não têm capacidade de abastecer todos os moradores.

Os caminhões-pipa servem para amenizar a falta de água. Por isso é importante economizar água até o abastecimento voltar.

Carregando