Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Maranhão luta para diminuir analfabetismo na região

O analfabetismo tem sido motivo de mais preocupação do atual governo estadual. Desde 2016 foi lançada uma jornada de alfabetização.

Foto: Reprodução

O Maranhão possui em sua população 16,7% de pessoas que não sabem ler ou escrever. Trata-se da segunda maior taxa do país, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) de 2017.

Os dados, divulgados nesta sexta-feira (18) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelam mais de 851 mil maranhenses analfabetos.

O analfabetismo tem sido motivo de mais preocupação do atual governo estadual. Desde 2016 foi lançada uma jornada de alfabetização. Programas como o ‘Sim, Eu Posso!’ têm ajudado a população maranhense a melhorar os índices.

Só no primeiro ano do projeto, foram alfabetizados 70% dos inscritos. Esse número mostra que, dos 14.040 alunos do programa, 9.368 já estão escrevendo e lendo. A estratégia dessas ações faz parte de uma visão mais ampla de desenvolvimento, implementada em municípios atendidos pelo ‘Plano Mais IDH’.

Segundo informação da Secretaria de Educação do Estado do Maranhão, o programa “Sim Eu Posso!” ampliou os esforços para a alfabetização de aproximadamente 19 mil pessoas em 15 municípios com o baixos indicadores sociais.

Essa ação precisou ser tomada porque o Governo Federal reduziu os investimentos do Programa Brasil Alfabetizado no Maranhão, diminuindo a meta de 20 mil alfabetizandos no penúltimo ciclo (2016) para, apenas, 6.500 em 30 municípios (2017).

Carregando