Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Senarc prende sete membros de facção em São Luís

O grupo está vinculado àquelas 3,2 toneladas de maconha apreendidas em setembro de 2017 em Ribamar e que foram avaliadas em R$ 5 milhões

O grupo integra a facção criminosa Bonde dos 40. (Foto: Francisco Silva)

Por Nelson Melo

A Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc) deflagrou, nesta quinta-feira (14), a “Operação Falcão”, em vários bairros da capital maranhense, resultando na prisão de sete pessoas envolvidas em grandes carregamentos de drogas. O grupo está vinculado àquelas 3,2 toneladas de maconha apreendidas em setembro de 2017 em São José de Ribamar e que foram avaliadas em R$ 5 milhões.

Em uma entrevista coletiva ocorrida no turno vespertino, o delegado Jean Algarves, da Senarc, explicou que, após a apreensão dos 3.200kg de maconha no ano passado, quando quatro pessoas foram presas em flagrante, as investigações continuaram, sendo que foi descoberto que não se tratava apenas de um pequeno grupo. Ele frisou que, na verdade, era uma organização criminosa (Orcrim) que integrava a facção Bonde dos 40 e que era responsável por abastecer vários pontos da ilha com entorpecentes.

Nesse sentido, outros membros foram identificados, como Kamila Daniele dos Santos, natural de Tocantins; Raimundo de Jesus Chaves Neto, o “Neto”, considerado o líder da Orcrim; Fábio Júnior Santos Sousa, o “Fabinho”; Asenilson Pinheiro dos Santos; Francisco Pereira Rodrigues, o “Porquinho”; Alan Cardoso Pereira e Nilmara Pinheiro Barros. Cada um, de acordo com o delegado, era responsável por setores dentro da organização, como contabilidade, logística e escolta durante o transporte dos tabletes em veículos.

Segundo o delegado Carlos Alessandro, titular da Senarc, um revólver calibre 38, contendo seis munições intactas, foi encontrado na casa de Fábio Júnior. O objetivo, agora, é identificar e prender os outros envolvidos nessa organização criminosa, que atua em rede justamente porque está dentro da estrutura do Bonde dos 40. Como ele ressaltou, a “Operação Falcão” deu cumprimento a mandados de prisão e também a mandados de busca e apreensão.

 

Carregando