Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Conheça a alimentação vegana com orientação

A equipe do JP esclareceu dúvidas sobre a importância de um acompanhamento profissional na mudança de hábitos

O cardápio de comidas veganas e vegetarianas cresce nos restaurantes Brasileiros.
(Foto: Thamiris Miwa/ JP online)

É cada vez maior o número de pessoas que adotam o estilo de vida vegano ou vegetariano, segundo o IBOPE, cerca de 14% da população tem adotado costumes a favor dos animais. Podemos encontrar problemas na mudança de hábito repentina, quando não se tem um acompanhamento profissional na transição alimentar, podendo causar falta de nutrientes e proteínas que são essenciais para a saúde corporal.
O veganismo vai além da decisão de não consumir carne animal. Prescinde de qualquer alimento que gera exploração e sofrimento de animais.

Já o vegetarianismo é apenas a exclusão de todos os tipos de carnes, sendo divididos da seguinte forma: Ovolactovegetarianismo, Lactovegetarianismo e Ovovegetarianismo.

O tempo de adaptação para uma nova rotina varia de pessoa para pessoa, mas pode se tornar mais fácil quando o paciente já identificou os aspectos que quer mudar na sua rotina.
Dessa forma, com um acompanhamento de uma nutricionista o processo de adaptação se torna mais seguro, pois a dieta do paciente será montada com alimentos que venham a substituir a falta da proteína.

Dra. Ana Emília Rios, especializada em nutrição clínica, esportiva e fisioterápica.
(Foto: Reprodução/Facebook)

Para esclarecer dúvidas sobre o tema, o JP Online conversou com a Nutricionista Ana Emília Rios, graduada na Faculdade Santa Terezinha-Cest, em 2011, que respondeu algumas questões.

JP-Quais as consequências para quem entra nesse estilo de vida sem acompanhamento?
Dra. Ana Emília Rios- A primeira consequência é o impacto e adaptação! É preciso que o paciente entenda que vai tirar muitos alimentos e terá que substituí-los, a partir desse momento é necessário realizar alguns exames para acompanhar deficiências nutricionais a fim de evitá-las.

JP-Tem alimentos que substitui a proteína? Se sim, quais os que são melhores para a substituição?
Dra. Ana Emília Rios- Substituir alguma proteína animal não é possível, mas não se pode afirmar que o indivíduo terá aporte proteico adequado visto que proteínas vegetais ofertam sim quantidades necessárias, além de que hoje existe suplementação – Whey vegano, uma das favoritas até por pacientes não veganos!

JP-Qual acompanhamento é feito com quem quer se tornar vegano ou vegetariano?
Dra. Ana Emília Rios- É preciso acompanhamento por exames laboratoriais, para verificar e evitar possíveis deficiências de ferro, cálcio, vitaminas como a B12 e avaliação corporal constante!

JP-Possui algum lado negativo para o corpo?
Dra. Ana Emília Rios- De forma alguma existe um lado negativo. Existe a escolha feita pelo paciente e existe o acompanhamento individualizado para o mesmo. Acompanhado por um profissional habilitado, não acarretará em nenhum dano a saúde dos veganos!

Carregando