Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Banco Central reduz expectativa de crescimento para 1,6% em 2018

Relatório citou desaquecimento da atividade econômica no início do ano e impactos diretos e indiretos da greve dos caminhoneiros

Banco Central reduziu com força sua projeção de crescimento do PIB do Brasil (Foto: Reprodução)

O Banco Central reduziu para 1,6% a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 2018. O dado consta no Relatório de Inflação divulgado nesta quinta-feira (28). A nova projeção representa um corte de 1 ponto porcentual na previsão fixada no último relatório, quando o Banco Central estimava um crescimento de 2,6% para o PIB.

O documento aponta que a revisão da previsão de crescimento da economia em 2018 está associada “ao arrefecimento da atividade no início do ano, à acomodação dos indicadores de confiança de empresas e consumidores e à perspectiva de impactos diretos e indiretos da paralisação no setor de transporte de cargas ocorrida no final de maio”.

Os analistas de mercado consultados pelo Banco Central também vêm reduzindo as suas estimativas ao longo do ano. Segundo o último boletim Focus, divulgado na segunda-feira (25), esperam alta de 1,55% em 2018. Há 4 semanas, a estimativa era de 2,37%.

A projeção oficial dos ministérios da Fazenda e Planejamento no início do ano esperavam crescimento de 3%. Desde maio, trabalham com 2,5%. A previsão do Banco Central está abaixo da estimativa oficial do governo. Em maio, o governo reduziu de 2,97% para 2,5% a previsão de crescimento da economia brasileira em 2018.

Revisões do Banco Central para os componentes do PIB:

Agropecuária: de -0,3% para 1,9%;

Indústria: de 3,1% para 1,6%;

Serviços: de 2,4% para 1,3%;

Consumo das famílias: de 3% para 2,1%;

Consumo do governo: de 0,5% para -0,2%;

Investimentos: de 4,1% para 4%;

Exportações: de 4,9% para 5,2%;

Importações: de 6,8% para 6,4%.

Carregando