Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

SHPP cumpre mandado contra dupla envolvida em morte de publicitário

Esta dupla participou da morte do publicitário Jesiel Sales Pontes, 52, cujo corpo foi achado no dia 29 de março deste ano enrolado em uma rede

A dupla foi apresentada nesta quinta-feira na SHPP. (Foto: Gilson Ferreira)

Por Nelson Melo

A Superintendência Estadual de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP) deu cumprimento a mandados de prisão preventiva em desfavor de Natanael dos Santos Lemos, de 19 anos, e Wanderson Morais Baldez, 21, na manhã desta quinta-feira (28). Esta dupla participou da morte do publicitário Jesiel Sales Pontes, 52, cujo corpo foi achado no dia 29 de março deste ano enrolado em uma rede de descanso.

O delegado Lúcio Rogério Reis, titular da SHPP, disse que Wanderson já estava encarcerado no Complexo Penitenciário de Pedrinhas por ter atuado no assassinato do delegado da Polícia Federal Davi Farias de Aragão, 36, no dia 5 de maio passado, na Praia do Meio, em São José de Ribamar. Como foi descoberto que ele participou diretamente da morte do publicitário, a sua prisão preventiva foi solicitada, ao que o Poder Judiciário decretou.

Já Natanael, que é conhecido como “Beck”, foi capturado no “Buraco da Gia”, uma região periférica do bairro do Olho d’Água, em São Luís, por volta das 10h30 desta quinta-feira. Esse suspeito não participou diretamente do crime, mas apareceu na chácara onde Jesiel estava quando a vítima já estava sem vida. Conforme o delegado Lúcio, ele ficou responsável por levar os objetos do imóvel na caminhonete Hilux, de placa NHH-7584, que pertencia ao publicitário.

Outro envolvido no latrocínio (roubo que resulta em morte), identificado como Darlan Melo, já tinha sido preso em 31 de março, na cidade de Santo Amaro/MA, por uma equipe da Polícia Militar. Na ocasião, ele foi baleado na perna, sendo que estava com a caminhonete de Jesiel, que seria vendida no local. Caso não conseguisse, o criminoso iria oferecer o veículo no Estado do Pará, como o delegado relembrou.

Darlan, como Lúcio Rogério declarou, tinha um relacionamento amoroso com o publicitário, sendo que Melo planejou todo o crime e convocou os seus comparsas. Na época, ele foi preso em flagrante, mas houve a conversão em prisão preventiva.

 

Carregando