Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

JP comete equívoco com foto da juíza Anelise Reginato

A Associação dos Magistrados do Maranhão – AMMA, emitiu nota defendendo Anelise Reginato dos ataques que vem sofrendo nas redes sociais

Juíza Anelise Reginato, da Comarca de Coroatá

O Jornal Pequeno cometeu um equívoco com a foto de capa da sua edição desta sexta-feira (10). Na matéria em que informa que o Ministério Público deu um parecer contrário ao da juíza Anelise Reginato, que tornou inelegível o governador Flávio Dino, a foto que ilustra o texto não é da magistrada e sim da juíza Mirella Cezar Freitas, da Comarca de Itapecuru. Na foto, Mirela toma posse ao lado da desembargadora Nelma Sarney, à época corregedora geral de Justiça.

Na manhã desta sexta-feira, a Associação dos Magistrados do Maranhão – AMMA, emitiu nota defendendo Anelise Reginato dos ataques que vem sofrendo nas redes sociais.

NOTA PÚBLICA

A Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA) repudia as manifestações agressivas e desrespeitosas que vêm sendo desferidas contra a juíza Anelise Reginato, da Comarca de Coroatá, em face de decisão judicial prolatada em processo que tramita na Justiça Eleitoral.

A AMMA esclarece que desde a manhã desta quinta-feira (9), quando tiveram início os ataques à magistrada, em blogs e veículos de imprensa, o presidente Angelo Santos entrou imediatamente em contato com a juíza Anelise, manifestando o total apoio da Diretoria Executiva, colocando toda a estrutura da associação à disposição da magistrada para as providências que fossem necessárias.

Uma das primeiras medidas adotadas pelo presidente da AMMA foi contatar a diretora financeira da entidade, juíza Andrea Perlmutter Lago, para acompanhar a juíza Anelise à Delegacia de Combate a Crimes Tecnológicos, a fim de que fosse registrado Boletim de Ocorrência sobre postagem indevida, em sua página do Facebook, datada do ano de 2012.

A Diretoria Executiva da AMMA também entrou em contato com os diretores da entidade que integram a Diretoria de Segurança Institucional do Tribunal de Justiça, para que acompanhem todas as investigações acerca dos ataques sofridos pela juíza Anelise Reginato.

A AMMA reitera o seu repúdio às agressões à juíza Anelise e esclarece que a função de julgar é árdua e, para tanto, é necessário preservar incondicionalmente a independência da magistrada que, independentemente de interesses políticos e disputas eleitorais, cumpre a sua missão constitucional de dizer o direito, observando os limites do processo legal.

A Associação dos Magistrados esclarece, ainda, que adotará todas as medidas jurídicas cabíveis no sentido de responsabilizar aqueles que achacam a juíza Anelise Reginato.

São Luís, 10 de agosto de 2018

Juiz Angelo Santos

Presidente da Associação dos Magistrados do Maranhão

Carregando