Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Homem que atirou em grávida é condenado a 18 anos de reclusão em São Luís

Leandro Costa Fonseca, conhecido como “Léo Raíque”, baleou, no dia 5 de maio de 2015, Dinalice dos Santos, no Bairro de Fátima, em São Luís

O réu foi condenado em sessão do júri realizada no Fórum Sarney Costa. (Foto: Divulgação)

Por Nelson Melo

Foi condenado a 18 anos e um mês de reclusão, em julgamento que terminou no fim da tarde de segunda-feira (20), Leandro Costa Fonseca, conhecido como “Léo Raíque”, que, no dia 5 de maio de 2015, baleou uma mulher grávida, Dinalice dos Santos, no Bairro de Fátima, em São Luís, sendo que a vítima morreu quatro meses depois durante o parto. O júri popular aconteceu no Fórum Desembargador Sarney Costa, na capital maranhense.

Leandro Costa recebeu a sentença do juiz titular da 4ª Vara do Júri, José Ribamar Goulart Helluy Júnior, que negou ao réu o direito de recorrer da decisão em liberdade, ou seja, vai cumprir a pena em regime fechado. O magistrado determinou a execução da sentença porque o acusado possui uma condenação com trânsito em julgado e não tem emprego fixo. E, também, porque era integrante da facção criminosa Primeiro Comando do Maranhão (PCM).

Junto com Leandro, também sentou no banco dos réus Danilo Costa Franco, igualmente denunciado pelo Ministério Público no mesmo crime contra a grávida, mas foi absolvido pelos jurados. Tanto Danilo como o outro haviam sido capturados em 6 de maio de 2015, sendo que suas prisões foram convertidas, posteriormente, em prisão preventiva. Para este julgamento, atuou na acusação o promotor de Justiça Gilberto Câmara Júnior.

O crime: segundo a denúncia, Leandro seguiu a uma rua do BF para matar Jonathan Santos Campos, que era do Bonde dos 40, mas, no tiroteio, atingiu a mulher grávida, que estava na parada de ônibus, por volta das 17h40 do dia 5 de maio de 2015. O alvo do autor conseguiu escapar ileso dos disparos de arma de fogo. A vítima foi socorrida e levada ao Hospital Municipal Djalma Marques (Socorrão 1), onde foi submetida a uma cirurgia.

Passados quatro meses do caso, Dinalice dos Santos faleceu quando dava à luz ao filho, sendo que o bebê também não sobreviveu.

 

Carregando