Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Índice de confiança do empresário industrial maranhense varia pouco em um mês

Participaram da pesquisa empresas da Construção Civil e Indústrias Extrativas e de Transformação, no período de 2 a 16 de julho

Foto: Reprodução

O Índice de Confiança do Empresário Industrial do Maranhão (ICEI-MA) cresceu 0,1 ponto em relação ao mês de junho, e marcou 54,9 pontos em julho. Apesar da variação pouco expressiva, o índice se mantém acima dos 50 pontos e indica confiança dos setores empresariais. Fazendo a comparação com o mesmo mês do ano passado, o índice reduziu-se 0,4 ponto.

A pesquisa é elaborada mensalmente pela Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA) em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e considera que valores abaixo de 50 pontos indicam falta de confiança do empresário. Quanto mais abaixo de 50 pontos, maior e mais disseminada é a falta de confiança.

Apesar de a confiança iniciar o ano bastante elevada (janeiro registrou 60,8 pontos), no acumulado diminuiu 6,9 pontos até o momento, indicando que houve um reajustamento das expectativas dos setores. O índice de condições das empresas se elevou (3,7), voltando para a faixa dos 50 pontos. O resultado indica uma avaliação positiva sobre as condições atuais das indústrias, fator que sustenta boas expectativas para os períodos subsequentes, como mostra a pouca variação do índice de expectativas (-0,9), que ainda se mantém elevado em 58,8 pontos.

De acordo com o estudo, a indústria da construção civil apresentou elevação da confiança de 5,4 pontos e mantém boas expectativas para os próximos seis meses, visto que esse índice elevou-se de 51,7 pontos para 59,2 pontos. Esse fato é reforçado pela boa avaliação do setor em relação às condições atuais da economia e das empresas que o compõe, os quais permaneceram na faixa de 80 pontos.

Por outro lado, a indústria da transformação apresentou redução no ICEI- MA, mas permanece confiante, visto que o índice se mantém acima dos 50 pontos. A avaliação dos empresários do ramo em relação às condições atuais da economia indica insatisfação em todos os quesitos (Economia Brasileira, Estado e Empresa) e, por consequência, gerou uma redução das expectativas para os próximos seis meses, embora esta ainda seja otimista, como registrou o índice de expectativas, 58,3 pontos.

O ICEI é obtido a partir da ponderação dos resultados referentes às Condições Atuais e Expectativas dos empresários em relação à economia brasileira, o Estado e a empresa. Participaram da pesquisa empresas da Construção Civil e Indústrias Extrativas e de Transformação, no período de 2 a 16 de julho.

Carregando