Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Voluntários de São Luís se mobilizam em prol da limpeza das praias

Energia do Bem marca presença em mais uma edição do Clean Up The World!

Letícia Lima, filha da colaboradora Luana Furtado. (Foto: De Jesus)

Além de ser destaque em primeiro lugar como a melhor empresa para se trabalhar no Maranhão pela Great Place to Work, a Cemar dá uma lição de dedicação às causas sociais, por meio do seu programa de voluntariado, o Energia do Bem, marcando presença em mais uma edição do Clean Up The World no último final de semana, nas praias em São Luís. A iniciativa é realizada em 130 países e mobiliza anualmente mais de 30 milhões de pessoas no mundo.

Os voluntários da Companhia, junto aos outros participantes da ação, percorreram aproximadamente dois quilômetros de faixa de areia, da avenida litorânea até a praia do Olho D’água e recolheram desde garrafas pet, pedaços de papel, até restos de eletrodomésticos.

Para a Analista de Segurança de Rede, Eduarda Gonçalves, “participar desta experiência foi interessante. Contribuir com a limpeza das nossas praias e compartilhar a cultura da sustentabilidade é engrandecedor.” Ela pontua também o quanto é importante participar de ações voluntárias em prol do meio ambiente “muitos pais trouxeram seus filhos e isso serve como exemplo para as crianças, já que eles serão o futuro. É sempre bom participar destes eventos educativos a favor da natureza”.

Além de adultos, jovens e crianças também integraram a mobilização. Uma delas foi Letícia Lima, de apenas 7 anos, filha da Analista de Comunicação e Marketing, Luana Furtado, em São Luís, que participou do evento e relatou que sabe dos males que o lixo causam ao ecossistema e por isso estava lá para ajudar: “Eu sei desde cedo, pelo que a minha mãe e minha professora ensinaram na escola, o quanto é ruim jogar lixo na rua. É por isso que estou aqui”, disse.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU) Meio Ambiente, a cada ano, oito milhões de toneladas de plástico vão parar nas águas dos oceanos, levando 100 mil animais marinhos à morte, em média. Ainda segundo a ONU Meio Ambiente, até 2050 pode haver mais plástico que peixes nos mares. A situação pode aumentar ainda mais a escassez de alimento no mundo, além de afetar a economia de regiões que dependem da indústria da pesca.

Carregando