Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

“Somos o caminho para poder impedir a volta do PT para o governo”, afirma Geraldo Alckmin

Abrir o mercado para bancos estrangeiros também faz parte dos planos de Geraldo Alckmin como forma de aumentar a oferta de crédito para empreendedores

Foto: Ciete Silvério

O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Geraldo Alckmin, foi recebido neste domingo, em um ato no Parque do Ibirapuera, por militantes dos 32 diretórios tucanos da capital paulista. O ato fez parte do movimento Arrancada 45, que tem mobilizado a militância no Estado. Aos jornalistas, Alckmin destacou que está crescendo o número de eleitores interessados pela campanha e que sua candidatura representa o caminho para o fim da era PT no Brasil.

“Eu acho que mostra claramente uma preocupação com o futuro do Brasil. Eu acho que temos que deixar claro os pesadelos do passado e focar no futuro do país. Todos os indicadores são de que a gente deve ter um crescimento aí nessa reta final e acho que nós somos o caminho para poder impedir a volta do PT para o governo”, disse o tucano.

O presidenciável tucano afirmou que a volta do PT pode causar um dano ainda maior ao Brasil que já passa por uma grave crise provocada pelos desmandos da gestão petista.

“A população precisa ter todas as informações. Eu vou suar a camisa nesses últimos dias para gente não ficar aí limitado à volta do PT, que seria um desastre para ao país. Tem muita gente de boa vontade, muita gente que pretende votar no Bolsonaro para derrotar o PT, porque está olhando a pesquisa do 1º turno, mas é preciso enxergar um pouco melhor. Tudo o que o PT quer é o Bolsonaro no 2º turno.”, alertou Alckmin.

Geraldo Alckmin também salientou que o candidato Jair Bolsonaro representa o pior possível para o país e destacou que ele sempre votou contra o interesse nacional e a favor de corporativismo.

“Eu sou de uma geração que foi às ruas para defender a democracia. Esse é o caminho. Aqueles que tiram a liberdade em nome do pão, não dão o pão que prometeram e nem devolvem a liberdade que roubaram. Democracia é um valor em si próprio. É respeito pelas pessoas. O Senhor é o povo. Nós precisamos ter um presidente para resolver os problemas, para destravar a economia.”, defendeu.

Alckmin reiterou seu compromisso para recuperar o crescimento da economia do país e afirmou que seu foco será gerar emprego e renda aos brasileiros. O presidenciável tucano ainda garantiu que irá incentivar os micro, pequenos e médios empreendedores.

“O brasileiro é trabalhador e ele quer montar o seu negócio. Nós vamos focar muito no emprego e na renda. Então, mudança tributária, menos imposto e mais emprego, mudança no crédito, crédito muito concentrado no Brasil, meia dúzia e muito caro, nós vamos desregulamentar, ter mais competitividade, tornar o crédito maior e mais barato, estimular os pequenos empreendedores.” frisou Alckmin. “O BNDES não vai ser para os campeões nacionais, para quem é milionário ficar bilionário, mas vai ser para fomentar a economia e principalmente através do pequenos e médios empreendedores que irrigam a economia e distribuem renda.”, prometeu.

Abrir o mercado para bancos estrangeiros também faz parte dos planos de Geraldo Alckmin como forma de aumentar a oferta de crédito para empreendedores.

“Eu não vou ser pau mandado de banqueiro. O meu senhor é o povo. Vou trabalhar para os mais pobres, fazer o país crescer e ter um país mais justo.”, concluiu.

Carregando