Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Coligação de Roseana pede afastamento de Jefferson Portela e Coronel Luongo

Os advogados da emedebista solicitaram inelegibilidade de Dino, Weverton, Eliziane e do vice-governador Carlos Brandão (PRB)

Foto: Reprodução

A coligação “Maranhão Quer Mais”, encabeçada pela candidata ao governo pelo MDB, Roseana Sarney, ingressou na Justiça Eleitoral com uma ação de investigação judicial eleitoral solicitando o afastamento dos cargos do delegado Jefferson Portela e do coronel Jorge Allen Guerra Luongo, secretário estadual de Segurança Pública e comandante-geral da Polícia Militar, respectivamente.

Na mesma ação, os advogados da emedebista solicitaram que sejam ouvidos pelo menos 16 oficiais da Polícia Militar envolvidos no episódio da prisão; além inelegibilidade de Dino, Weverton, Eliziane e do vice-governador Carlos Brandão (PRB), apontando-os como possíveis beneficiários de possíveis novas ações policiais que possam vir a ser deflagradas.

A assessoria jurídica da coligação justificou o pedido alegando que faz-se necessário o afastamento, pelo menos até a realização de segundo turno, como forma de garantir a democracia e evitar que o aparelho do sistema de segurança pública seja utilizado de forma política.

Os advogados de Roseana citaram como exemplo de abuso por parte da polícia comandada pelos auxiliares do governador Flávio Dino (PC do B) a prisão, no início desta semana, de três pessoas flagradas no Terminal da Praia Grande, no Centro Histórico, distribuindo um jornal que atacava os deputados federais Weverton Rocha (PDT) e Eliziane Gama (PPS), candidatos ao Senado pelo grupo governista.

O jornal, de quatro páginas e com tiragem de 500 mil exemplares, foi confeccionado à mando do ex-vereador e candidato a deputado estadual, Carioca do Povo (PRTB), aliado político do deputado federal Sarney Filho (PV), candidato à Câmara Alta representando o grupo Sarney.

Além de ter sido elaborado por um agente político ligado à Sarney Filho, o jornal foi impresso na Gráfica Escolar SA, de propriedade da própria família do ex-presidente José Sarney, que recentemente também atacou Weverton e Eliziane.

Os candidatos governistas, durante coletiva de imprensa concedida esta semana, classificaram o ato como uma medida covarde patrocinada por Zequinha.

Carregando