Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Idade paterna avançada impacta na saúde do bebê, diz estudo

A explicação pode estar nas mutações genéticas que acontecem com o esperma conforme os homens envelhecem

Ao contrário da crença geral, não é apenas o relógio biológico feminino que interfere na saúde da mãe e da criança (IStock/Getty Images)

As mulheres são sempre aconselhadas a terem filhos antes dos 35 anos para evitar os riscos de saúde para ela e para a criança. No entanto, novo estudo americano revelou que a idade paterna também pode interferir no tempo gestacional, aumentando a probabilidade de parto prematuro, além de comprometer a saúde do recém-nascido.

O estudo, publicado no British Medical Journal, revelou que crianças nascidas de homens com idade igual ou superior a 45 anos estão 14% mais propensos a nascer prematuramente, ter baixo peso e serem admitidas em terapia intensiva neonatal; o risco de problemas respiratórios sob essas mesmas condições é de 10% enquanto o de convulsão sobe para 18%. Além disso, para as mulheres, a probabilidade de diabetes gestacional é 28% maior quando o pai do bebê é mais velho.

Em comentário que acompanhava a pesquisa, Hilary Brown, da Universidade de Toronto, no Canadá, explicou que esse resultado pode estar relacionado a manutenção de hábitos negativos capazes de interferir na saúde do bebê. “Estudos mostraram que a idade paterna avançada está associada a comportamentos negativos de saúde, como tabagismo, consumo frequente de álcool, obesidade, doenças crônicas, doenças mentais e subfertilidade”, escreveu.

Para chegar a esta conclusão, os pesquisadores da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, analisaram os registros de saúde vinculados a todos os nascidos vivos na Califórnia entre 2007 e 2016, totalizando mais de 40 milhões de bebês. Apesar de a descoberta ter apresentado dados modestos, Michael Eisenberg, principal autor da pesquisa, alerta que os casais não devem ignorar a idade paterna quando se trata de planejamento familiar. “Há riscos potenciais em esperar. Os homens não devem pensar que estão imunes”, disse ao The Guardian.

Os riscos da idade
Antes de chegar ao resultado final, a equipe ajustou outros fatores de risco associados a mãe, como idade, educação e tabagismo. A partir daí, os cientistas descobriram que os filhos de homens acima dos 45 anos nascem, em média, um dia antes e costumam pesar 20 gramas a menos do que as crianças nascidas de pais mais jovens. Ainda que os números pareçam pequenos, Eisenberg destacou que os riscos tendem a aumentar conforme a idade paterna avança.

A explicação para os resultados pode estar nas mudanças que ocorrem no DNA do esperma (mutações genéticas espontâneas) conforme os homens envelhecem. Estudo recente realizado pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, indicou que os nascimentos por fertilização in vitro diminuíram com o aumento da idade dos pais.

Laura Dodge, que liderou a pesquisa, ressaltou que as descobertas estavam diretamente relacionada à idade do homem uma vez que ao observar mulheres mais jovens cuja idade dos parceiros estava entre 40 e 42 anos tinham taxa de sucesso de apenas 46%; no caso de parceiros entre 30 e 35 anos esse valor subiu para 73%.

De acordo com a revista Time Health, o novo estudo também reuniu o resultado de pesquisa anterior que vinculou a maior idade paterna a problemas de saúde mental e comportamental em crianças, como autismo, transtorno de déficit de atenção (também conhecida como DDA), hiperatividade e transtorno bipolar. Essas crianças também tinham maior risco para problema de abuso de substâncias e de obter notas baixas na escola em comparação com aquelas com pais mais jovens.

Carregando