Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Alunos do IEMA são selecionados para Parlamento Juvenil do Mercosul

O PJM é aberto a estudantes de todo o país sendo selecionados os quatro melhores projetos por estado

Os estudantes com as propostas eleitas irão participar de um curso de formação e apresentar os projetos para implantação

Estudantes de diferentes unidades plenas do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA) inscreveram projetos e estão participando do Parlamento Juvenil do Mercosul (PJM) 2018-2020. O PJM é aberto a estudantes de todo o país sendo selecionados os quatro melhores projetos por estado. As votações nas propostas serão feitas pela internet (www.pjm.mec.gov.br) no período de 19 a 23 de novembro. Os estudantes com as propostas eleitas irão participar de um curso de formação e apresentar os projetos para implantação.

“O parlamento Juvenil do Mercosul é uma iniciativa muito importante no incentivo da participação política dos jovens que estão inseridos nesse bloco. Isso nos anima a compreender que nosso país está inserido em um mundo complexo e que exige habilidades de negociação política, diálogo, discussão e construção coletiva da nossa democracia no âmbito do parlamento. A experiência é de formação prática para nossos jovens que tenham interesse em exercer essa cidadania e em avançar acerca desse tema. É motivo de orgulho para o Instituto, uma vez que todos os representantes do Maranhão que tiveram seus projetos selecionados pertencem ao IEMA. Mais um indicativo da qualidade de trabalho que o IEMA tem realizado ao longo desse período”, destacou o magnífico reitor do IEMA, Jhonatan Almada.

De acordo com o regulamento do Parlamento Juvenil do Mercosul, os projetos submetidos devem contemplar a realidade escolar dos alunos, tendo como objetivo propor ações que estimulem a ação juvenil, priorizando o desenvolvimento de um trabalho coletivo e cooperativo, contribuindo para que as instituições de ensino possam se tornar cada vez mais um espaço democrático, onde os jovens expressem anseios e sugiram melhorias que facilitem a aprendizagem e a convivência, fortalecendo a cidadania e gerando aproximação com os princípios desenvolvidos no projeto, como democracia, inclusão, identidade latino-americana e os direitos humanos.

A exemplo desses projetos, a aluna do IEMA da unidade plena de São José de Ribamar, Ester Carvalho, que também faz o curso técnico de Guia de Turismo, submeteu o projeto intitulado ‘Dando voz aos gestos’. O projeto é voltado para a comunicação de alunos surdos e ouvintes, tendo como objetivo facilitar a comunicação entre alunos surdos e ouvintes e também para promover o respeito pelo ser humano e a inclusão social.

Outro trabalho submetido é o do aluno José Guilherme Veras de Assunção, cujo título do projeto é ‘Papo de adolescente: o protagonismo juvenil a serviço dos direitos dos LGBTs’. Segundo o estudante, o projeto visa transformar o espaço escolar em um lugar de debate sobre cidadania e discussão dos problemas enfrentados pelos LGBTs na atual conjuntura sociopolítico da sociedade brasileira, que não é um problema exclusivo desse grupo social, mas de toda a sociedade. Ainda segundo José Guilherme, o projeto também visa chamar os jovens para a discussão, sendo que esta é uma forma de posicionamento enquanto protagonistas, tornando-se parte da solução e fazendo da escola um ambiente de inclusão e quebra de tabus.

Mais um trabalho submetido à seleção para o Parlamento Juvenil do Mercosul 2018-2020 é do aluno do curso técnico de serviços jurídicos da unidade plena do IEMA de Timon, Ryan Carlos, um jovem que tem se destacado muito como escritor. Com o projeto intitulado ‘Educação como despertar para os direitos humanos’, o aluno disse que o principal intuito do trabalho é desenvolver o hábito das rodas de conversas, palestras, oficinas de artes, dentre outras didáticas para alunos do IEMA e de outras várias escolas do município de Timon.

“Por meio do desenvolvimento desse trabalho, os jovens poderão, cada vez mais, ter acesso a áreas com direitos humanos, tendo mais ciência sobre aquilo que é direito e dever de cada cidadão”, explicou Ryan Carlos.

Já a aluna de tempo integral do curso de Guia de Turismo, unidade plena de São José de Ribamar, Lanna Assunção, elaborou e desenvolveu o projeto intitulado ‘Aprendizagem significativa – as estratégias no ensino através de parceiros de estudo’. Lanna Assunção falou sobre os motivos e critérios que a ajudaram na escolha do tema para o projeto.

“Escolhi esse curso porque me identifiquei com coisas que quero fazer no futuro, como conhecer novos lugares, novas culturas, novas pessoas, novas línguas e ter muitas outras experiências diferentes do cotidiano. Me tornei monitora de sociologia há algumas semanas e sou monitora de um grupo de língua portuguesa na minha escola. Sempre tento ajudar meus colegas em tudo que está ao meu alcance, fui líder de um clube de protagonistas, participo de um clube de fotografia, de uma eletiva que trata sobre os diferentes tipos de padrões de beleza que existem no mundo, escolhi essa eletiva por que amo esse tipo de assunto, gosto de debater sobre assuntos como diversidade, educação, escolha de gênero, paz mundial, solidariedade, fake news, feminicídio, economia, culto ao corpo, direitos humanos, padrões de beleza, entre outros. Tenho vontade de trabalhar como guia de turismo, de aprender línguas novas, de ajudar as pessoas que precisam, tenho vontade de ir para o exército um dia, amo ler, gosto de aprender coisas novas, tenho o sonho de ser médica, quero ainda poder fazer intercâmbio no futuro”, disse.

O projeto de Lanna Assunção se baseia no conceito de que para cada indivíduo há um tipo de aprendizagem significativa. E quando relacionado ao ambiente escolar é vista a necessidade de se colocar em prática esse conhecimento. Nesse sentido, o projeto propõe ajudar alunos do IEMA, unidade plena São José de Ribamar, na melhoria de seu desempenho acadêmico, sendo que existem diferentes maneiras de aprendizagem, e que muitas vezes se torna uma dificuldade para os alunos entenderem os conteúdos diante dos métodos e prazos estabelecidos pelos professores em cada disciplina. Dessa forma, o projeto viria a reestruturar e implementar a ideia dos “parceiros de estudo”, que seriam os alunos que possuem um conhecimento maior de certos conteúdos ajudando aqueles com dificuldades em disciplinas específicas.

Reabertura das inscrições

O Ministério da Educação (MEC), por meio de sua Assessoria Internacional, e em parceria com o Fundo das Nações Unidas (Unicef) e o Instituto Internacional para Desenvolvimento da Cidadania (Iidac), tornou pública a reabertura das inscrições para a 5ª seleção nacional do Parlamento Juvenil Mercosul.

De acordo como o regulamento, as inscrições são totalmente gratuitas e os alunos que desejarem se inscrever devem fazê-lo exclusivamente pelo endereço eletrônico [email protected] até as 23h59 – horário de Brasília – do dia 30 de novembro do ano vigente.

Os documentos a serem anexados são: o formulário de inscrição – disponível para download em pjm.mec.gov.br – preenchido no formato word, o projeto de autoria do próprio aluno e orientado por um professor e assinado por ambos no formato PDF, carta de recomendação do professor assinada e digitalizada também no formato PDF e o termo de ciência e autorização assinado pelos pais, uma vez que os alunos farão viagens nacionais e internacionais acompanhados pelo MEC e seus parceiros.

Carregando