Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Maranhão Na Tela 2018 libera lista completa de selecionados

A 11ª edição do Maranhão na Tela será de 15 a 24 de novembro

(Foto: Reprodução)

O 11º festival maranhense de cinema, Maranhão na Tela, que acontece entre os dias 15 e 24 de novembro, em São Luís liberou a lista completa de produções selecionadas para a Mostra Nosso Cinema e Mostra Maranhão.

O evento conta este ano com a Mostra Nosso Cinema, que teve inscrições abertas para competidores das regiões Norte e Meio Norte. Confira a baixo os selecionados:

Longas-Metragens:

A TRIBO DO REGGAE, Beto Matuck, DOC, 74’, MA, 2018;

AURORA – O ENCONTRO DOS PÓLOS, Luís Mário Oliveira, FIC, 98’, MA, 2018;

MANUEL BERNARDINO: O LÊNIN DA MATA, Rose Panet, DOC, 73’, MA, 2018;

NO PALCO COM ALDO LEITE, Inaldo Lisboa, DOC, 80’, MA, 2018;

PARA TER ONDE IR, Jorane Castro, FIC, 100’, PA, 2018.

Curadores Categoria Longa-Metragem

Alexandre Juruena

Alexandre Juruena é diretor do Anim!Arte – Festival Internacional de Animação Estudantil do Brasil e curador de vários outros festivais de cinema e animação, nacionais e internacionais. Mestre em estudos contemporâneos da arte, pela Universidade Federal Fluminense (UFF- RJ); Pós-graduado em Mídia e Educação e graduado em Design, pela PUC-RJ; tem curso de extensão em Animação, pela PUC-RJ; é Professor e mentor das oficinas de animação da Escola Parque-RJ desde 2006. É diretor de filmes, curtas e videoclipes, como o premiado “Sai da Lama, Jacaré “ e do videoclipe “Súplica Cearense”, na voz da banda O Rappa.

Roberta Sauerbronn

Sócia diretora da Saraguina Filmes, é formada em cinema pela Universidade Federal Fluminense, e especializada em Film & TV Business pela FGV-Rio. Atua como roteirista, pesquisadora, curadora, diretora e produtora, em projetos de curta, média e longa metragem, documentários e ficção, para cinema e TV. Destaques para a curadoria e coordenadora geral das mostras de cinema “Geração Beat” (CCBB São Paulo, janeiro/2017, CCBB Rio de Janeiro, fevereiro/2017 e CCBB Brasília – julho e agosto/2016), “A Vilania no Cinema Brasileiro” (CCBB Rio de Janeiro e São Paulo – julho/2016) e “O Homem que Caiu Na Terra” (CAIXA Cultural Rio de Janeiro, julho/2017; Fortaleza, janeiro/2018 e Curitiba, fevereiro/2018).

Curtas-Metragens

AQUARELA, Thiago Kistenmacker e Al Danuzio, FIC, 15’, 2018;

FAROL, Arturo Saboia, FIC, 19’56”, MA, 2018;

FOI-SE, Adriano Pinheiro, ANIM, 5’53”, MA, 2018;

TRÁFEGOS EM TRAVESSIAS, Doroti Martz, EXP, 11’08”, MA, 2018;

OBESO MÓRBIDO, Diego Bauer e Ricardo Manjaro, FIC, 14’36”, AM, 2018;

A CATARSE DAS FLORES, Isac Sadhrack, EXP, 5’41”, MA, 2018;

DAMASCENO NOVOS E USADOS, Kemuel Carvalheira, FIC, 23’40”, PA, 2018;

LIMIAR, André dos Santos, FIC, 20’, PA, 2017;

O NECROMANTE, Ricardo Manjaro de Albuquerque, AM, FIC, 15’34”, 2016;

RAIMUNDO QUINTELA – O CAÇADOR DE VIRA PORCO, Robson Fonseca, DOC, 14’43”, PA, 2018.

Videoclipes

7 MARIAS (RITA BENNEDITTO) – GABRIEL CALDERON, RAFAEL SAAR E THAIS GALLART, 5’20’’, MA;

SANTI (ARI SOUSA) – PAULO MALHEIROS, 4’13’’, MA;

CAIXA PRETA (BRUNO BATISTA) – ARTURO SABOIA, 4’51’’, MA;

PARECE QUE FOI ONTEM (CATCH A FIRE) – JASF, GUGS E DANI LOPES, 2’15’’, MA;

CERCADO E PROTEGIDO (GUGS) – KAYUÁ, 3’30’’, MA;

A MENINA DO SALÃO (CRIOLINA) – ARTHUR ROSA FRANÇA, 3’17’’, MA;

ENTRE A LUZ E SOMBRA ME DEBATO – DAHORA FILMES E XILA, 3’, MA;

LANÇA ATÉ MORRER (JULIANA SINIMBÚ) – ADRIANA DE FARIA, FERNANDO SEGTOWICK E LUCAS DOMIRES, 3’46’’, PA;

CABELOS (LIÉGE) – ADRIANNA OLIVEIRA, 3’, PA;

MOÇO BONITO (VINAA) – DOMINGOS THIAGO, 3’36’’, MA;

MORPHING IN THE RAIN – MANLIO MACCHIAVELLO, 3’43’’, MA;

BÚFALO (PRATAGY) – ADRIANNA OLIVEIRA, 3’34’’, PA;

QUANDO CHEGAR O AMANHÃ (SAMMLIZ) – ADRIANNA OLIVEIRA, 3’48’’, PA;

DEUSA DA LUA MULHER PERIGOSA (SAMMLIZ E DONA ONETE) – ADRIANNA OLIVEIRA, 5’, PA;

MY OCEAN (SOULVENIR) – BRUNO ARAÚJO, 4’16’’, MA;

XOTE DESSA MOÇA (TIAGO MÁCI) – RICK RAMOS, 3’6’’, MA;

FADINHA (FRIMES) – LUCAS SÁ, 4’21’’, MA;

BOY (BUTANTAN E ONLY FUEGO) – LUCAS SÁ, 4’53’’, MA;

HORNY – JAN FRANÇA, 3’42’’, MA.

Curadores Curta-Metragem e Videoclipe

Cavi Borges

Cavi Borges é produtor e diretor da Cavideo: locadora de filmes raros e referência dos cinéfilos cariocas que depois virou produtora e distribuidora. Como diretor já fez 12 longas e 42 curtas, como produtor já fez 63 longas e 143 curtas ganhando 178 prêmios em festivais nacionais e internacionais. Acabou de lançar seu longa de ficção SALTO NO VAZIO nos cinemas e segue para lançar seu novo longa, REVIVER, filmado no Maranhão.

Christian Caselli

Christian Caselli se destacou no audiovisual alternativo carioca por sua produção acelerada: fez direção, roteiro e edição de cerca de 50 curtas e clips de baixo orçamento. Ganhou retrospectivas de sua obra em festivais nacionais e internacionais, sendo seu filme mais conhecido é o viral O PARADOXO DA ESPERA DO ÔNIBUS (2007). Trabalha atualmente na Mostra do Filme Livre (RJ) e no projeto Maranhão na Tela, onde costuma ser professor de vídeo, artista videográfico e curador de curtas e longas-metragens. Em 2017 codirigiu com Cavi Borges o longa- documentário “Rosemberg – Cinema, Colagens e Afetos”.

Veja, abaixo, a lista de selecionados da Mostra Maranhão:

Mostra Maranhão de Cinema (Competitiva)

DIVINO PATO, Alberto Greciano, DOC, 27’, MA, 2018;

VOCÊ É DIFERENTE, George Pedrosa, FIC, 12’, MA, 2018;

VENTO MENINO, Edemar Miqueta, FIC, 25’, MA, 2017;

A CAPATAZ, Daniel Drummon, FI, 16’39’’,MA, 2017;

AO REDOR DA MÚSICA, Joaquim Haickel e Markim Araújo, FIC, 15’, MA, 2018;

CANTILIANA, Roberto Augusto, DOC, 14’45’’, MA, 2018;

3X MELHOR, Andriolli Araújo, FIC, 12’25’, MA, 2018;

(B)ELAS, Nádia de Cássia, FIC, 7’30’, MA, 2018;

AMNIOGÊNESE, Rose Panet, EXP, 10’, MA, 2018;

JOSÉ LOUZEIRO, Maria Thereza Soares ,DOC, 15’, MA, 2018.

Mostra Maranhão de Cinema (Informativa)

CONSUME-ME, 2ª. Turma da Escola de Cinema do Maranhão, FIC, 6’35’’, MA, 2018;

FILHOS ÓRFÃOS E DE PAIS VIVOS, Alessandro Silva, DOC, 16’15’, MA, 2017;

ILHA MAGNÉTICA, Eliaquim Maia, DOC, 22’, MA, 2018;

NÃO É PERMITIDO SAIR COM FLORES, Leandro Guterres, 15’, MA, 2017;

ZELADORAS E ENCATADOS, Ilka Pereira e Paulo do Vale, 24’56’’, MA, 2018;

ME ENTEDIE MAIS, João Luciano, FIC, 11’, MA, 2018;

UMA SEXTA EM 1940, Inaldo Lisboa, FIC, 25’, MA, 2018;

NOSSO CABARÉ, Manlio Macchiavello, EXP, 4’, MA, 2018;

SOTAQUE – ENCONTRO DA BAIXADA, Marise Farias, DOC, 17’, MA, 2017;

EDITE, Rick Ramos, DOC, 3’36’’, MA, 2018;

ADEUS HEMINGWAY, Roberto Augusto, FIC, 8’39’’, MA, 2018.

Maranhão Na Tela 2018

Além da ampliação para região Norte, a edição 2018 do festival terá pela primeira vez um ambiente de mercado, o Maranhão na Tela LAB, no Centro Cultural Vale Maranhão (CCVM).

Esse ano, boa parte de sua programação será em um novo local, o Kinoplex Golden, em uma parceria inédita com a Kinoplex, a maior rede de cinemas 100% brasileira, que também irá divulgar o festival em toda sua rede de salas e meios de comunicação no Brasil.

As mostras serão realizadas nas salas KinoEvolution, que possuem tela gigante, com tecnologia de imagem e som de última geração e Kinoplex Platinum, o cinema de luxo da rede, com poltronas super espaçosas e reclináveis, ambas no Kinoplex do Golden Shopping, no bairro do Calhau.

Já o Maranhão na Tela LAB será composto por painéis e rodadas de negócios, laboratório de pichting e masterclasses com importantes nomes do audiovisual brasileiro. Serão reunidos em seu ambiente de mercado executivos da TV, do cinema e das mídias digitais.

Carregando