Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Pesquisa revela a média de parceiros sexuais que uma pessoa tem durante a vida

Além do número de parceiros, o levantamento descobriu outros detalhes, como o uso de preservativo nas relações e a confiança que as pessoas têm na hora h

(Foto: Ilustração)

A Euroclinix, clínica profissional que oferece serviços médicos online, disponibilizou recentemente uma pesquisa sobre o comportamento sexual dos indivíduos. O estudo revelou que 25% dos entrevistados tiveram de 2 a 4 parceiros íntimos. Esse é o maior índice, seguido de 22% que disseram já ter tido relações com 5 a 9 pessoas.

A pesquisa da www.euroclinix.net foi realizada com 2.000 adultos na Inglaterra. Além do número de parceiros, o levantamento descobriu outros detalhes, como o uso de preservativo nas relações e a confiança que as pessoas têm na hora h.

Parceiros durante a vida

De acordo com o estudo, 3% dos entrevistados nunca tiveram relações sexuais com ninguém e 14% só tiveram com uma pessoa. Em contrapartida, 7% está no grupo de indivíduos que já tiveram mais de 31 parceiros íntimos.

Quando a pesquisa é analisada por faixa etária, a maior parte dos entrevistados entre 18 e 24 anos tiveram de 2 a 4 parceiros. Já as pessoas entre 25 e 34 anos, 23% tiveram de 5 a 9. Os indivíduos acima de 65 anos também tiveram de 2 a 4 parceiros (24%), assim como os adultos mais jovens.

Uso de preservativo

O aspecto mais importante apontado pelo estudo foi o uso de preservativo. Responsável por evitar uma gestação indesejada e diversas doenças sexualmente transmissíveis, a camisinha não é usada pela maior parte dos entrevistados (37%).

Em relação a esse dado, os indivíduos mais velhos são os que menos usam o preservativo: 59% de quem tem mais de 65 anos respondeu que nunca usa e 64% dos que estão na faixa dos 55 aos 64 anos também.

Os mais jovens, por sua vez, têm se mostrado mais precavidos diante das possibilidades — gravidez e inúmeras doenças. Das pessoas entre 18 e 24 anos, 36% responderam sempre usam preservativo e 18% na maior parte das relações. Uma explicação para isso talvez seja o risco de uma gestação, que não existe no caso dos mais velhos.

Confiança na hora H

A pesquisa também investigou qual é o índice de confiança das pessoas na hora H sob dois aspectos, a relação que cada tem com o próprio corpo e como enxergam o desempenho durante o sexo. No caso das mulheres, 9% disseram que se sentem confiantes com o próprio corpo. Já o dobro dos homens (18%) têm o mesmo sentimento.

Com relação à performance sexual, a diferença entre homens e mulheres é bem menor. Para 11% das adultas, as habilidades são satisfatórias para curtir e agradar o outro na hora H. Já 14% dos homens enxergam o próprio desempenho de maneira positiva.

Fonte: https://www.euroclinix.net/en/vc/between-the-sheets/#/

Carregando