Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

“Pela 1ª vez, tivemos um governador voltado aos municípios”, diz presidente da Famem

Preocupado com a crise federal que resultou na redução de investimentos e repasses aos municípios, o presidente da Famem também falou das ações para reverter o quadro

Foto: Reprodução

“Pela primeira vez, tivemos um governador que começou o mandato dando apoio total aos municípios do nosso estado”. Assim o presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), Cleomar Tema, avalia os últimos quatro anos de gestão do Governo do Estado.

Em entrevista, o prefeito de Tuntum aponta que as ações que mais geraram impactos positivos para os municípios foram o Escola Digna, o Mais Asfalto e também a construção de oito grandes hospitais no interior, além de dois na capital. Nas palavras dele, os hospitais “amenizaram o sofrimento do povo do interior do estado”.

Preocupado com a crise federal que resultou na redução de investimentos e repasses aos municípios, o presidente da Famem também falou das ações para reverter o quadro. Leia abaixo:

Qual avaliação o senhor faz da aproximação do Governo do Estado com os municípios?

A avaliação é positiva. Nós tivemos pela primeira vez um governador que começou o mandato dando apoio total aos municípios do nosso estado, com programas e projetos pré-determinados.

Temos vários programas de interesse dos municípios, com o governador voltado para o municipalismo. Tivemos o Mais Asfalto, que tem levado infraestrutura para as cidades do interior do estado, seja ela uma grande cidade, média ou pequena.

Outros programas importantes na área de educação e saúde, como o programa Escola Digna; a construção, no setor de saúde, dos Hospitais Macrorregionais em diversas regiões do estado – como Santa Inês, Bacabal, Imperatriz, Caxias e Balsas, que são hospitais de urgência e emergência para atendimento das pessoas, dos cidadãos maranhenses.

Estes hospitais foram importantes?

O que mais dificultava no interior do estado era a urgência e emergência, porque praticamente a gente só tinha São Luís, através dos Socorrões, que viviam superlotados. Com essa ação, o governador amenizou o sofrimento do povo do interior do estado.

Que programas o senhor destacaria como de maior impacto?

O programa de saúde posso dar nota 9,9 ao governo. Na área da educação também; o Escola Digna foi muito importante. Quarenta porcento da população do nosso estado vive na zona rural, e a zona rural é difícil. Grande parte das escolas ficava em salões alugados, casa de palha, não tinha uma escola digna. E o Escola Digna veio sanar essas condições de boas escolas no interior do estado. Daria nota 10 à educação porque ela veio em primeiro lugar.

E a parceria será mantida?

Claro que sim, estivemos na diplomação do governador, deputados e senadores eleitos. E o governador disse que vai continuar os programas, uma coisa que deu certo. E quem vai ganhar é o povo do Maranhão. Fico feliz em ver a disposição do governador de falar como se estivesse no primeiro dia de seu governo.

E a crise federal, de que forma afetou os municípios?

É grave hoje a crise dos municípios no nosso estado. Os recursos da educação não dão para pagar mais nem a folha de pagamento, os professores, os funcionários da educação. É uma situação grave. Nós já estamos caminhando já, dialogando, através da Federação, temos um encontro marcado com o futuro governo federal para que se possa resolver isso, principalmente na área da educação.

Carregando