Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Candidata de escola pública tira nota 10 na redação do PAES 2019 da UEMA

Apenas sete candidatos conquistaram a nota máxima na produção textual do vestibular da Instituição

Letícia Santos, com sua redação em mãos, ao lado da presidente da Comissão do PAES 2019, Cristiane Pestana e da professora Venúzia Belo, membro da Comissão de Vestibular da UEMA. (Foto: Divulgação)

Tirar nota 10 em redações de vestibulares tem sido, cada vez mais, um desafio aos candidatos a uma vaga nos cursos de graduação de universidades públicas em todo o Brasil.

Podemos exemplificar esse feito com o ocorrido no último Processo Seletivo de Acesso a Educação Superior da Universidade Estadual do Maranhão – PAES 2019|UEMA, quando apenas sete candidatos conquistaram nota 10 na redação. Isso significa que somente 0,06% dos 11.362 candidatos que tiveram suas redações corrigidas conseguiram nota máxima.

Letícia de Almeida dos Santos foi uma dessas pessoas. Com apenas 19 anos, a maranhense oriunda do Centro de Ensino João Francisco Lisboa – CEGEL (escola da rede estadual de ensino) se destacou, dentre o universo de candidatos, ao desenvolver a redação do PAES 2019, que estimulava um debate acerca da necessidade que o ser humano criou de se expor em meios sociais digitais.

O tema sugerido para construção de texto dissertativo-argumentativo foi: “Hoje, abre-se mão da privacidade e se compartilham rotinas e intimidades nas redes sociais: exposição sem limites e repletas de riscos”. A redação deveria ser desenvolvida com, no mínimo, 15 linhas.

Com o título “Realidade Idealizada”, Letícia Santos discorreu em 28 linhas seus pensamentos de maneira bem estruturada e embasada. Citando um dos autores mais críticos da contemporaneidade, o polonês Zygmunt Bauman, em seu livro Modernidade Líquida, a candidata levantou debate sobre um dos maiores problemas que a sociedade vive hoje, “a ausência do questionamento”, para subsidiar o seu raciocínio sobre a “exposição sem limites que muitos usuários fazem na internet”. A candidata afirmou em sua redação que “a sociedade em geral não está se interrogando sobre os reais motivos que levam a esse exibicionismo” nos meios sociais digitais.

No desenvolvimento da sua argumentação, Letícia Santos ressaltou que dentro de uma cultura que visa ao “status” social, as pessoas almejam “ter” para “ser”. “Isso tudo faz com que os usuários da rede compartilhem informações e intimidades de forma cada vez mais excessiva a fim de se encaixar em um padrão estipulado”, frisou. Para finalizar seu pensamento, a candidata sublinhou que toda essa exposição pode ser um ato perigoso, principalmente devido à facilidade de obtenção de informações pessoais “favorecendo a ação de criminosos e deixando extremamente exposta e vulnerável toda uma geração”.

Dedicação

O curso de administração tornou-se um sonho para Letícia Santos há pouco tempo. Antes ela almejava ser engenheira, mas ficou encantada com o universo da administração após começar a estagiar em um banco da capital. Logo, ela passou a se dedicar energicamente aos estudos para o PAES 2019, abrindo mão das coisas que a maioria das pessoas na sua faixa-etária gosta de fazer, como ir ao cinema ou assistir a séries na TV.

Além das aulas na escola pública estadual na qual estudava, Letícia criou outras estratégias de estudos. Ela escrevia duas redações por semana. Quando não fazia produção textual, lia muitas redações nota 10 de outros vestibulandos. “Eu nunca tive dificuldade com nenhuma disciplina, mas não medi esforços para estudar todas as áreas de conhecimento com muito empenho e dedicação”, disse.

A candidata foi aprovada no curso de Administração e já começará os estudos na UEMA neste primeiro semestre. “Sei que ingressei em uma grande universidade e que terei os melhores professores. Com uma formação de excelência que a UEMA irá proporcionar, acredito que certamente irei me tornar uma grande profissional no futuro”, concluiu.

No total, o PAES 2019 teve 57.114 inscritos. A instituição ofertou 4.249 vagas no vestibular.

Carregando