Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Perdigão anuncia recolhimento de 164,7 toneladas de frango por possível presença de salmonela

Os produtos foram comercializados nos estados do Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo

A BRF vai recolher aproximadamente 164,7 toneladas de carne de frango in natura da marca Perdigão destinadas ao mercado doméstico devido ao risco de contaminação por salmonela.

Em comunicado divulgado nesta quarta-feira (13), a empresa informou que os produtos, em sua maioria cortes congelados, foram produzidos em Dourados (MS) em outubro e novembro últimos. Os lotes são de coxa, sobrecoxa, meio peito, filezinho (sassami), filé de peito e coração.

Os produtos foram comercializados nos estados do Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

“Apenas uma parte dos lotes incluídos no recall apresentou resultado positivo para essa bactéria. Mas, como possuem as mesmas datas de fabricação de lotes com teste positivo, todos estão sendo retirados do mercado com base no princípio da precaução”, afirma a BRF.

A empresa alerta que, caso os alimentos contaminados sejam consumidos sem ter sido completamente fritos, cozidos, assados ou manuseados conforme descrito nas embalagens, eles podem causar dores abdominais, diarreia, febre e vômito.

Segundo a BRF, o consumidor que tiver produto dos lotes envolvidos no recall (veja abaixo) deve entrar em contato gratuitamente pelo telefone 0800-031-1315 ou pelo e-mail recolhimento.sac@brf.br.com, para esclarecimento de dúvidas, troca ou devolução.

 

BRF recolhe 164,7 toneladas de carne de frango in natura por risco de contaminação por salmonella — Foto: Reprodução

Exportação
Além do produto para o mercado nacional, a BRF também recolherá outras 299,6 toneladas de carne de frango in natura destinadas ao mercado internacional como medida de precaução pelo mesmo motivo. No total, 464 toneladas do alimento podem estar contaminadas.

A empresa diz ter destacado “um grupo de especialistas para investigar as origens deste único caso, para garantir a adoção das medidas apropriadas para evitar recorrência”.

Ainda no comunicado, a produtora afirmou que a fábrica em Dourados segue funcionando “sob um processo rigoroso de manutenção e liberação dos produtos para assegurar que a ocorrência foi pontual e não se repetirá”.

Segundo a BRF, o recall foi informado ao Ministério da Agricultura e à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Carregando