Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Maranhenses conhecem cachaça e tiquira produzidas no estado na Feirinha de São Luís

Ação faz parte do projeto Cartima – Cachaça Artesanal e Tiquira do Maranhão e a meta é estimular a comercialização do produto dentro do estado. Ação conta com apoio da FIEMA

Foto: Reprodução

Os produtores maranhenses de cachaça e tiquira das cidades de Balsas, Santo Amaro, Sucupira do Riachão, Passagem Franca, Vargem Grande e Buriti Bravo retomaram neste mês de fevereiro, na Praça Benedito Leite, a exposição e comercialização de seus produtos durante a Feirinha São Luís, promovida pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento – Semapa.

A meta da ação é apoiar as marcas maranhenses registradas de cachaças e tiquira, que estarão expostas numa tenda estruturada para atender aos consumidores que queiram conhecer, comprar e apreciar as bebidas e os drinks preparados com elas. Os produtos serão comercializados, gerando oportunidade de negócios e visibilidade para as marcas.

“Estamos retomando nossas atividades aqui na praça. Concluímos o ano de 2018 com o registro de mais três cachaças, atingimos a nossa meta. Estamos dando continuidade a essa ação de registro, ampliando as marcas e na ação de mercado, reforçando com essa atividade aqui na praça. É uma atividade importante, ainda mais nesse período carnavalesco e de férias, onde São Luís recebe muita gente de fora do Estado e se cria a possibilidade de se conhecer os produtos maranhenses. Sabe-se que o Maranhão tem tradição na fabricação de cachaça, apesar de não ter um número expressivo de marcas registradas ainda. Hoje temos mais de 400 alambiques no Estado e o sindicato avalia como satisfatória as ações desenvolvidas em 2018 e para 2019. Dando continuidade ao fortalecimento dos produtos, cada vez mais, com os nossos parceiros, promovendo cursos técnicos na área do conhecimento da produção da bebida. Esperamos que 2019 seja um ano promissor principalmente na área de mercado!”, destacou Jorge Fortes, presidente do Sindibebidas e proprietário da cachaça Capotira.

“A apresentação da barraca aqui na praça foi muito boa e chama a atenção da gente. Depois vi frutas regionais como o bacuri que é lá da região e resolvi encostar. A bebida é uma verdadeira obra de arte, a apresentação e o sabor são muito bons. Não conhecia as cachaças maranhenses foi uma grata surpresa, muito boa cachaça. É uma bebida de ótima qualidade e pode competir com qualquer cachaça do Brasil!”, enfatizou o advogado da cidade de Balsas, Alysson Azevedo.

“A gente já produz a cachaça há bastante tempo, mas só buscamos o registro no último ano e com o apoio do projeto Cartima conseguimos o registro no Ministério da Agricultura e Pecuária no comecinho de 2019. A burocracia e a falta de informação ainda dificulta bastante esse processo de regularização da produção da cachaça. Mas já conseguimos ultrapassar isso e já estamos lutando para entrar no comércio estadual para depois pensar em passos fora do Estado. Acreditamos que esse espaço aqui na feirinha de São Luís é uma ótima vitrine dos nossos produtos e a gente consegue alcançar o público local e o turista que vem para a feirinha a procura de produtos regionais e encontra a cachaça maranhense de boa qualidade”, disse Ellen Mendonça Silva, produtora da cachaça Reserva do Zito, de Passagem Franca, que é fabricada pelo seu pai e pelo seu avô desde 1945.

LANÇAMENTO – “Lançamos a Tiquero para atender um clamor do povo por uma “tiquira de cor violeta”. Somos formalizados e legalizados e trabalhamos respeitando as normas que regem a produção de tiquira e como ela proíbe que a tiquira seja violeta, por exemplo, não se pode acrescentar nada que altere a cor e o sabor dela, fizemos a tiquero que é denominada uma bebida mista, produzida com tiquira e um corante/aromatizante. Em termos de aceitação, o Maranhão ainda tem muito preconceito com a tiquira devido a uma lenda que quem bebe tiquira emolha o pé e pode passar mal. É muito difícil querer posicionar um produto que tem esse preconceito. Fora do Maranhão, a aceitação é muito boa. Somos os desbravadores, somos uma empresa pequena de Santo Amaro, é muito trabalho mas já conquistamos seis medalhas internacionais em 2018 e ainda fomos eleita a melhor destilaria no Asia International Spirits Competition, em Hong Kong”, finalizou a empresária carioca Margot Stingwagner, produtora da tiquira Guaaja e da Tiquero.

A ação na Feirinha São Luís, é uma iniciativa do Cartima – Projeto Cachaça Artesanal e Tiquira do Maranhão, numa parceria firmada entre a Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), o Sindicato das Indústrias de Bebidas, Refrigerantes, Água Mineral e Aguardente do Estado do Maranhão (Sindibebidas), a Secretaria de Estado de Indústria e Comércio (Seinc) e a Feirinha São Luís (Prefeitura de São Luís, por meio da Semapa).

PRODUÇÃO – Atualmente, os municípios que mais produzem estão no sertão maranhense, dentre eles, Colinas, Pastos Bons, São Domingos do Azeitão, São João dos Patos, Sucupira do Norte e Sucupira do Riachão. A produção total das bebidas no estado chega a seis milhões de litros. Já a Tiquira (destilada da mandioca) tem uma fábrica na região de Santo Amaro.

Carregando