Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Polícia Federal realiza operação contra suspeitos de assalto aos Correios do Maranhão

O grupo criminoso foi responsável por pelo menos 17 (dezessete) assaltos a bancos postais localizados em Agências dos Correios

(Foto: Ilustração)

A Delegacia de Combate aos Crimes contra o Patrimônio – DELEPAT da Polícia Federal do Maranhão deflagrou na manhã desta sexta-feira, dia 10 de maio de 2019, nas cidades de São Luís/MA e Cajari/MA, a Operação “Trabalho Espúrio” com a finalidade de reprimir Organização Criminosa especializada em assaltos à Agências dos Correios no Estado do Maranhão.

A equipe de investigação apurou que a organização criminosa é composta por 14 pessoas estruturalmente ordenados e caracterizados pela divisão de tarefas e funções específicas.

f, ocorridos em menos de 06 (seis) meses, no qual foram subtraídos a quantia de R$ 893.000,00 (oitocentos e noventa e três mil reais.

As agências dos Correios que foram vítimas das ações delituosas foram as seguintes:

10/04/2018 – AC BACABEIRA

20/04/2018 – AC HUMBERTO DE CAMPOS

15/05/2018 – AC PACO DO LUMIAR

17/05/2018 – AC HUMBERTO DE CAMPOS

18/05/2018 – AC BACABEIRA

22/05/2018 – AC RAPOSA

23/05/2018 – AC MATOES DO NORTE

24/05/2018 – AC PINHEIRO

30/05/2018 – AC TURU

19/06/2018 – AC HUMBERTO DE CAMPOS

20/06/2018 – AC SÃO BENTO

25/06/2018 – AC VITORINO FREIRE

28/06/2018 – AC CURURUPU

03/07/2018 – AC BEQUIMÃO

27/08/2018 – AC SÃO BENTO

14/09/2018 – AC ANAPURUS

19/09/2018 – AC BARREIRINHAS

A Polícia Federal cumpriu 14 Mandados de Prisão Preventiva, e 04 Mandados de Busca e Apreensão, tendo as ordens judiciais sido expedidas pelo Excelentíssimo Dr. Francisco Ronaldo Maciel Oliveira, juiz titular da 1.ª Vara Criminal de São Luís/MA.

Os investigados serão indiciados pelos crimes de roubo qualificado, organização criminosa, previsto no artigo 157, § 2º, II § 2º-A, I do Código Penal Brasileiro e o Artigo 2º da Lei nº 12.850/2013.

A Operação foi denominada “Trabalho Espúrio” em razão da situação peculiar do líder da quadrilha que cumprindo regime semiaberto de prisão, aproveitava o horário de trabalho para realizar levantamento das agências a serem assaltadas e participar de assaltos.

Carregando