Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Cidades brasileiras têm transporte público parcialmente parado e protestos nesta sexta-feira

Mobilização foi convocada contra cortes na educação e a reforma da Previdência

Foto: Reprodução

Cidades brasileiras registram protestos e paralisações em serviços públicos na manhã desta sexta-feira (14). Trabalhadores cruzaram os braços contra os cortes do governo na educação e a reforma da Previdência. Por volta de 9h35, ao menos 23 estados e o DF tinham sido afetados.

No início da manhã, os efeitos da paralisação eram sentidos nas grandes cidades principalmente no transporte público e com o fechamento de vias. Somente parte das linhas de ônibus, trem ou metrô funcionavam em capitais como São Paulo, João Pessoa, Curitiba, Maceió e Salvador. No Rio, protestos bloquearam vias da cidade.

Na capital paulista, quatro linhas do metrô tinham operação parcial por volta de 6h. A circulação de ônibus e trens ocorria normalmente. Houve bloqueio com protesto na Avenida do Estado, que liga São Paulo às cidades do ABC Paulista, em Santo André.

Em Santos, no litoral, manifestantes bloquearam a entrada da cidade e saíram em caminhada pelo Centro. Em Sorocaba, no interior, motoristas paralisaram e, no início da manhã, nenhum dos 352 ônibus saiu das garagens das empresas que operam o transporte público na cidade.

No Rio, o transporte público — ônibus, trens, metrô e barcas — funcionava normalmente no início da manhã. No entanto, ao menos quatro pontos da cidade foram tomados por protestos e algumas das principais vias foram parcialmente fechadas. Às 7h40, um princípio de tumulto começou perto da Rodoviária Novo Rio, e a PM usou bombas de efeito moral para dispersar os manifestantes, que recuou.

Uma das vias que teve bloqueio é a Avenida Brasil, uma das principais da capital. Em Campos, no Norte Fluminense, um ato bloqueava os dois sentidos da BR-101, no Km 76, por volta das 5h30.

No Distrito Federal, a paralisação afetou o funcionamento dos ônibus e do BRT. Ônibus de várias regiões pararam de circular desde as 5h, e a Rodoviária do Plano Piloto, principal terminal da capital, tinha plataformas vazias. Escolas públicas e a Universidade de Brasília também ficaram sem aula. A Força Nacional reforçou a segurança no DF.

Na Região Metropolitana de Belo Horizonte, protestos afetavam a circulação do metrô e o trânsito. Estações de metrô amanheceram fechadas. Também houve protesto nas seguintes rodovias: MG-010, na capital; na Fernão Dias, em Betim; na BR-040, em Congonhas; na MG-129, em Mariana; e na BR-356, em Ouro Preto.

Na região da Pampulha, na capital mineira, uma mulher de 53 anos foi levada para o hospital após inalar fumaça de fogo em pneus em um protesto e ter uma parada cardiorrespiratória.

Em Teresina, há paralisação no transporte público e greve na rede estadual de ensino. Manifestantes protestavam desde as 8h Praça da Bandeira e diante do Palácio de Karnak.

Em Pernambuco, há bloqueios nas estradas do estado, incluindo ao menos três pontos da Grande Recife, paralisação em linhas de ônibus e suspensão de aulas em universidades federais e privadas. Segundo a Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) Recife, as linhas do metrô funcionam em horários especiais exclusivamente nesta sexta (14). As linhas Centro e Sul operam das 5h às 9h e das 16h às 20h, apenas nos horários de pico do sistema. A Linha Diesel (VLT) não terá operação.

Carregando