Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Morre aos 98 anos a atriz Ruth de Souza

A atriz contracenou em mais de 20 novelas durante seus anos de carreira

Foto: reprodução

Ruth de Souza faleceu na manhã de hoje (28). Ela estava internada desde o início da semana no Centro de Tratamento Intensivo do Hospital Copa D’Or, em Copacabana. A atriz apresentava um quadro de pneumonia e recebia tratamento para a doença. Após falecimento, o hospital não informou a causa da morte de Ruth.

Ruth era reconhecida como um ícone da dramaturgia brasileira, influenciando várias gerações de atores e atrizes. Com papeis irreverentes e carregados de dedicação à profissão, conquistou o público de todas as idades. Foi a primeira atriz negra a se apresentar no Theatro Municipal do Rio. Foi, também, a primeira brasileira indicada a um prêmio internacional de cinema (o Leão de Ouro no Festival de Veneza, em 1954).

Pioneira como atriz negra, nasceu em 12 de maio de 1921. Era original do bairro do Engenho de Dentro, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Sua carreira decolou em 8 de maio de 1945. Sua primeira aparição foi em “O Imperador Jones”, de Eugene O’Neil, com montagem do Teatro Experimental do Negro. Sua representatividade foi um divisor de águas. Ruth teve papel relevante no meio artístico, ajudando a abrir caminho para outros artistas negros no Brasil.

Dona de um talento impressionante e mais de vinte novelas na bagagem, fez diversas apresentações em programas de variedades e musicais no início das transmissões da TV Tupi. Sua primeira novela foi “A deusa vencida” (1965), de Ivani Ribeiro, na TV Excelsior. Logo após, em 1968, foi contratada pela Globo para atuar em “Passo dos ventos”, de Janete Clair. A atriz teve papeis importantes em mais de 20 novelas, entre elas: “A cabana do Pai Tomás”, “Pigmalião 70”, e “Duas vidas”. Atuou, também, em “O clone”, “Os ossos do barão”, “O rebu”, e outras.

Ruth passou pelo cinema, atuando em alguns filmes. Suas participações nas telonas incluíram o clássico “O assalto ao trem pagador” (1962), de Roberto Farias. Também fez parte de “As filhas de vento”, de Joel Zito Araújo. Com esse papel, foi premiada no Festival de Gramado de 2004.

Seu último papel foi na minissérie “Se eu fechar os olhos agora”, recriada por Ricardo Linhares. A minissérie foi transmitida pela Globo e foi ao ar no início deste ano. Sua personagem era Madalena, uma idosa que foi abandonada pela família e assassinada no decorrer das cenas.

Segundo Midori de Sousa, sobrinha-neta de Ruth, a atriz merece toda essa homenagem da família. Os fãs também merecem dar esse adeus, pois, sabe que tem muita gente que gosta dela. Enfatizou, ainda, que a tia foi uma pessoa muito importante para a família toda. Alguém de muita garra. Sempre deu muitos conselhos. Poderia ser considerada a matriarca da família.

Carregando