Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Vestibular 2020 da UemaSul terá Medicina em Imperatriz e novos cursos em Estreito

Em Estreito serão disponibilizadas 160 vagas, distribuídas em três cursos: Letras Licenciatura em Língua Portuguesa, Ciências Naturais Licenciatura (Física e Matemática) e Engenharia Agronômica Bacharelado

Foto: Reprodução

A Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UemaSul) vem se consolidando como referência em educação superior no Estado. A criação de seis novos cursos para os campi Açailândia, Estreito e Imperatriz é mais um sinal de que a expansão da universidade está apenas no começo.

A partir do Processo Seletivo de Acesso à Educação Superior (PAES) 2020, serão oferecidas mais 240 novas vagas de graduação somente para a UemaSul. Além do curso de Medicina, com 40 vagas no Campus Imperatriz, uma das grandes novidades foi a abertura de vagas para o recém-inaugurado campus de Estreito da UemaSul, que terá seu primeiro vestibular este ano.

Em Estreito serão disponibilizadas 160 vagas, distribuídas em três cursos: Letras Licenciatura em Língua Portuguesa, Ciências Naturais Licenciatura (Física e Matemática) e Engenharia Agronômica Bacharelado.

Para a reitora Elizabeth Nunes Fernandes, o início das atividades acadêmicas da UemaSul em Estreito será importante vetor de desenvolvimento para a cidade, e, consequentemente, para toda a Região Tocantina.

A UemaSul também vai ofertar, a partir de 2020, o novo curso de Pedagogia Licenciatura, no Campus Açailândia. No município detentor do 4° maior Produto Interno Bruto (PIB) do Maranhão, a UemaSul vai ofertar 40 vagas anuais para a graduação em Pedagogia, atendendo uma demanda antiga da população.

Já em Imperatriz, a criação do curso de Medicina representa o fortalecimento das políticas públicas de saúde e educação na Região Tocantina, e o curso de Pedagogia em Estreito reflete os anseios da comunidade, como ressalta a reitora da universidade, Elizabeth Nunes Fernandes. “O curso de Medicina em Imperatriz irá atender a demanda da região, formar médicos para atuar na saúde do Estado, na prevenção, na atenção básica e melhorar os índices do Maranhão”, concluiu.

Carregando