Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Simplício Araújo destaca o potencial da Baía de São Marcos e dos portos para o crescimento do Maranhão

Em 2019, com o projeto S11D da Vale embarcando 220 milhões de toneladas, superaremos 250 milhões de toneladas de cargas movimentadas pela baia de São Marcos

Foto: Reprodução

Por Simplício Araújo – Secretário Estadual de Indústria, Comércio e Energia

São Luis tem hoje uma enorme importância para o Brasil e para o mundo, pois cada vez mais se consolida o papel de nossa baia de São Marcos para os estados do Nordeste, Norte e Brasil Central
no escoamento da nossa produção de grãos, minérios e produtos manufaturados, sendo também, importante porta de acesso para granéis líquidos e fertilizantes, além de cargas de projetos dos
maiores investimentos da região.

Em 2018, um dos maiores portos do Brasil, o porto de Santos, movimentou 133 milhões de toneladas de cargas, enquanto apenas um dos portos do Maranhão, o Terminal Marítimo da Ponta da Madeira (TMPM), de propriedade da Vale, movimentou 198,1 milhões de toneladas.

Se somarmos a movimentação do porto da Ponta da Madeira, com o recorde do nosso porto público administrado pela Emap, o Itaqui, que foi de 22,3 milhões de toneladas, mais a movimentação do Terminal Privado da Alumar que é da ordem de 14 milhões de toneladas, facilmente veremos que o Maranhão tem hoje uma das maiores movimentações de cargas marítimas do mundo, mais de 234 milhões de toneladas de cargas foram movimentadas aqui em 2018. Em 2019, com o projeto S11D da Vale embarcando 220 milhões de toneladas, superaremos 250 milhões de toneladas de
cargas movimentadas pela baia de São Marcos.

Isso justifica, não apenas a quantidade de navios, mas também o olhar do mundo para a nossa baia de São Marcos, onde temos atualmente, além dos 3 portos que já citei, mais 3 projetos aprovados para a construção dos portos Mearim (em Bacabeira), Porto São Luís (em construção) e o de Alcântara, que foi aprovado no final do ano de 2018. Essas estruturas portuárias já existentes são responsáveis por mais de 30 mil empregos diretos e indiretos, os demais empreendimentos podem trazer para São Luis e entorno mais 10 mil empregos diretos e indiretos nos próximos anos, com investimentos de mais de R$ 5 bilhões na região. Só o porto São Luis tem previsão inicial de investimentos de quase R$ 1 bilhão, gerando mais de dois mil e quinhentos empregos.

Nos últimos anos essas notícias reforçaram a vinda ao Maranhão de todo tipo de interessados em terras, empregos e negócios. Temos recebido na Secretaria de Indústria, Comercio e Energia
(Seinc), centenas de pessoas buscando aproveitar esta perspectiva que o Maranhão vai viver nos próximos anos. Somam-se ao maravilhoso potencial natural, profundidade de nossas águas, e a ótima localização geográfica do Maranhão, pelo menos outros três importantes fatores que são a aprovação do acordo Mercosul – União Europeia, a construção do trecho da ferrovia Norte-Sul que
interligará Estrela D’Oeste(SP) a Porto Nacional (TO) e possibilidade da Base Naval vir a ser construída em São Luis. Após 20 anos de negociação, o acordo Mercosul – União Europeia, esse tratado considerou que somente em 2018 mais de 100 bilhões de dólares foram movimentados entre os dois blocos econômicos.

O Mercosul compra medicamentos e produtos da indústria petroquímica da Europa. A Europa compra do Mercosul produtos de origem agrícola como soja, óleo de soja e café, que terão com certeza saída garantida pela nossa Baia de São Marcos. Serão trazidos pela ferrovia Norte – Sul, Transnordestina ou mesmo via rodoviária até nossos portos. A construção do trecho da ferrovia
Norte-Sul aumenta a perspectiva de negócios logísticos e novos planos para o agronegócio, para a indústria nacional e para a construção civil. Tudo isso projetado para desembocar na saída e chegada de cargas diversas pela nossa Baia de São Marcos.

Por fim, mesmo também sendo um entusiasta da Base de Alcântara, acredito que todas as forças políticas do nosso estado deveriam insistir na movimentação que o governador Flávio Dino fez
no sentido de garantir a instalação da Base Naval em São Luis. A presença da Marinha por aqui traria investimentos estimados em mais de R$ 15 bilhões, atraindo indústrias e diversos tipos de
negócios, alocando na região aproximadamente 6 mil militares com suas famílias, e o mais importante, consolidaria de vez nossa região portuária como uma das mais importantes do mundo.

O Governo Flávio Dino, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio e Energia, tem buscado revisar a situação fundiária escandalosa que a nossa área industrial e retroáreas portuárias foram tratadas nas últimas décadas, coibindo fraudes, desvio de finalidades e aquisições ilegítimas. Essas mudanças já garantiram que São Luís se transformasse num importante hub de combustíveis
e vão também, permitir a implantação de Portos, empresas de logística, indústrias, a chegada do gás veicular e para a indústria (nos próximos meses) e diversos outros importantes arranjos produtivos que irão aqui se instalar em virtude desse novo ambiente de negócios instalado em nossa gestão, das nossas ferrovias, rodovias, posição geográfica e as excelentes condições naturais da
nossa Baia de São Marcos.

É hora de todos nós maranhenses nos unirmos visando garantir esta e outras importantes perspectivas econômicas que buscamos estruturar desde 2015 com transparência, honestidade e compromisso com o Maranhão e nossa gente, sobre as quais buscarei discorrer em outros momentos.

Carregando