Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Projeto que será analisado no Senado quer criar o Maranhão do Sul

O projeto, elaborado por um senador do Tocantins, é assinado por apenas uma parlamentar maranhense, a senadora Eliziane Gama (Cidadania)

Foto: Reprodução

Um Projeto de Decreto Legislativo (PDS) protocolado dia 14 de agosto deste ano no Senado Federal pelo senador Siqueira Campos (DEM/TO), pretende que o Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE/MA) realize um plebiscito visando a criação do Maranhão do Sul. O PDS teve a assinatura de 27 senadores e destes, apenas um maranhense, a senadora Eliziane Gama (Cidadania).

Pelo projeto, o Maranhão do Sul seria formado pelos municípios de Açailândia, Alto Parnaíba, Amarante do Maranhão, Arame, Balsas, Barra do Corda, Benedito Leite, Bom Jesus das Selvas, Buriticupu, Buritirana, Campestre do Maranhão, Carolina, Cidelândia, Davinópolis, Estreito, Feira Nova do Maranhão, Fernando Falcão, Formosa da Serra Negra, Fortaleza dos Nogueiras, Governador Edison Lobão, Grajaú, Imperatriz, Itaipava do Grajaú, Itinga do Maranhão, Jenipapo dos Vieiras, João Lisboa, Lajeado Novo, Loreto, Mirador, Montes Altos, Nova Colina, Nova Iorque, Pastos Bons, Porto Franco, Riachão, Ribamar Fiquene, Sambaíba, São Domingos do Azeitão, São Félix de Balsas, São Francisco do Brejão, São João do Paraíso, São Pedro da Água Branca, São Pedro dos Crentes, São Raimundo das Mangabeiras, Senador La Roque, Sítio Novo, Sucupira do Norte, Tasso Fragoso e Vila Nova dos Martírios.

Uma das justificativas utilizadas pelo senador do Tocantins é a de diferença de colonização entre a região norte e sul do estado. Além disso, segundo o parlamentar, “a ideia de desmembramento do Estado do Maranhão em duas porções norte e sul não é nova, pois remonta ao século dezenove.”

A senadora Eliziane Gama afirmou à reportagem do JP em Brasília que esse é um tema importante, principalmente para os municípios do Sul do estado e que, por isso, assinou o projeto.

“Precisamos ouvir a população e fazer uma grande articulação no Congresso para que de fato o projeto seja aprovado”, afirmou a senadora.

Carregando