Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Evolução patrimonial de Márcio Lobão e ‘mordomo’ chamaram a atenção da Lava Jato

Márcio foi preso nesta terça-feira (10) na Operação “Galeria”, a 65ª fase da Lava Jato

Foto: Reprodução

A evolução patrimonial de Márcio Lobão, filho do ex-ministro e ex-senador Edson Lobão, foi o que mais chamou a atenção dos investigadores Lava Jato. O jornalista Matheus Leitão afirmou, em seu blog, que o patrimônio de Márcio foi de R$ 8,9 milhões para R$ 44 milhões em dez anos.

Márcio foi preso nesta terça-feira (10) na Operação “Galeria”, a 65ª fase da Lava Jato. Segundo investigadores do caso, após ser intimado pela Receita Federal para prestar informações sobre sua evolução patrimonial, Marcio Lobão foi acompanhado por um assistente, o qual policiais, auditores e procuradores apelidaram de “mordomo”.

Esse funcionário teria levado uma máquina de café expresso, servindo a bebida para Márcio durante o depoimento, além de oferecer para aos próprios auditores.

A operação Galeria investiga crimes de corrupção e lavagem de dinheiro por meio de pagamento de vantagens indevidas relacionadas à Transpetro, subsidiária da Petrobrás, e à Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Pará.

Além do mandado de prisão de Márcio Lobão, foram expedidos outros 11 mandados de busca e apreensão a ser cumpridos em São Paulo, no Rio de Janeiro e em Brasília.

Endereços de uma galeria de arte e de agentes financeiros, que administravam contas de Márcio Lobão no exterior, estão entre os alvos de busca e apreensão.

O nome “Galeria” faz menção às transações com obras de arte que foram utilizadas para dar aparência lícita aos valores provenientes de vantagens indevidas, segundo a Polícia Federal (PF).

Carregando