Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Polícia prende três acusados de assassinar empresário em Buriticupu

O corpo da vítima foi encontrado queimado há aproximadamente 40 km da cidade de Buriticupu

Foto: Reprodução

A Polícia Civil do Maranhão, por meio do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), com apoio de uma equipe da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), deflagrou a Operação Cobiça e prendeu, na manhã desta sexta-feira (13), Alex Cardoso dos Santos, sua ex-esposa Andressa Carvalho Dias e Hidelbrando Alves Lima Torres, conhecido como ‘Felipe’. Uma quarta pessoa, identificada como Declé, foi citado nas conversas do acusado Alex com o advogado como sendo um possível delator do caso à polícia.

O trio é acusado de envolvimento no assassinato de Edvalto Antonio Rodrigues, empresário de Anápolis/GO, assassinado no dia 16 de julho deste ano em Buriticupu. O corpo da vítima foi encontrado queimado há aproximadamente 40 km da cidade de Buriticupu.

O empresário goiano Edvalto Antonio Rodrigues era sócio de Alex Cardoso dos Santos em um negócio de fornecimento de sementes, adubos e defensivos agrícolas a agricultores que trabalham com soja, em Buriticupu. Alex, que fazia manutenção em máquinas agrícolas e conhece os agricultores da região, intermediava a venda dos produtos fazendo a entrega e também recebendo pagamentos.

No dia 13 de julho deste ano, o empresário veio de Anápolis para Buriticupu receber pagamentos no valor de R$ 600 mil referentes a produtos vendidos e uma caminhonete tipo Amarok, parte do pagamento. Edvalto recebeu a caminhonete, se hospedou em um hotel em Buriticupu e no dia 16 de julho foi até a casa de Alex para consertar algumas peças quebradas da caminhonete. Feito o conserto, no final da tarde/início da noite o empresário desapareceu, deixando de fazer contato com a família.

Segundo as investigações, nesse mesmo dia, por volta das 19h, ele foi morto, pois há depoimentos de moradores da localidade onde o corpo foi encontrado carbonizado de que teriam ouvido disparos de arma de fogo no mesmo dia e horário.

Interrogados, Alex e o seu funcionário Hidelbrando Alves Lima Torres, conhecido como ‘Felipe’, disseram ter deixado a vítima em um restaurante da cidade, no entanto, as imagens das imediações do restaurante citado não mostram Alex deixando a vítima ou sequer indo ao local no dia e hora citados.

De acordo com a investigação, os pertences de Edvalto foram recolhidos por uma pessoa que tinha a chave do quarto usado por ele e que disse ser seu funcionário, pessoa essa ainda não identificada, mas que, segundo imagens de câmeras da região, entrou no carro de Alex após sair do hotel.

A Polícia Civil pediu a busca e apreensão dos telefones e do carro de Alex e constatou, ao usar um reagente específico, a presença de sangue no interior do veículo.

Quanto a Andressa Carvalho Dias, ex-esposa de Alex, a investigação mostra que o dinheiro que deveria ter sido recebido pela vítima estava sendo movimentado por ela, que efetuou transferências bancárias para ‘Felipe’ e fez pagamento de advogados. Além disso, o veículo que seria recebido pela vítima como parte do pagamento teve o recibo de transferência preenchido no nome dela.

A polícia investiga ainda um quarto envolvido, conhecido como ‘Declé’, e que está preso por assalto. Tanto Andressa Carvalho quanto Alex teriam tratado com advogados sobre a interpelação de ‘Declé’ quanto ao homicídio.

As investigações realizadas pela Polícia Civil continuam e, em 30 dias, o inquérito deve ser concluído e encaminhado ao judiciário.

 

Carregando