Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Ex-ministro esclarece pontos da Reforma Tributária em seminário na Fiema em São Luís

O evento já está acontecendo no auditório da Fiema, desde às primeiras horas da manhã

Foto: Reprodução

O economista e ex-ministro da Previdência Social, Sérgio Machado, considerado um dos “pais” e mentores da proposta da Reforma Tributária que está sendo discutida na Câmara Federal, é um dos convidados do Seminário da Região Nordeste sobre a Reforma Tributário que o Maranhão sedia nesta sexta-feira (20). O evento já está acontecendo no auditório da Fiema, desde às primeiras horas da manhã, e é uma realização da Comissão Especial da Reforma Tributária da Câmara dos Deputados.

A ideia de São Luís sediar a etapa Nordeste foi do deputado Eduardo Braide (PMN-MA). Do debate na capital maranhense participam, ainda, o presidente da Comissão Especial, deputado federais Hildo Rocha (MDB-MA), e o relator da Reforma Tributária na Câmara, deputado federal Agnaldo Ribeiro (PP-PB).

Ex-ministro de Estado da Previdência Social (2005 – 2007), Nelson Machado é consultor e professor na Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas. Ele ocupou também os cargos de Secretário Executivo do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (2004 e 2005) e Secretário Executivo do Ministério da Fazenda.

ESTUDO DE 5 ANOS

Machado é um dos diretores do Centro de Cidadania Fiscal (C.CiF) – organismo que reúne um grupo de estudiosos sobre a simplificação do sistema tributário brasileiro e para o aprimoramento do modelo de gestão fiscal do país, visando ao desenvolvimento sustentável da Federação. Dessa equipe participam, ainda, o economista Bernard Appy – Formado em economia pela USP; Eurico Marcos Diniz de Santi – Professor da FGV Direito SP; e Vanessa Canado – Professora da FGV.

Foi a equipe do C.Cif que elaborou a proposta de Reforma Tributária (PEC 45/2015), que está sendo discutida na Câmara Federal, apresentada em março deste ano pelo deputado Baleia Rossi.

Trata-se de um estudo que de cinco anos, “através do qual chegamos a essa ideia de se constituir um Imposto sobre Valor Agregado (IVA) no Brasil, um modelo que é adotado em 160 países do mundo e que facilita, simplifica o sistema. Hoje temos três IVAs e nós estamos trabalhando para ter apenas uma IVA, e apenas uma legislação tributária”, destacou Hildo Rocha.

Carregando