Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Rotatória do Calhau em São Luís sofrerá intervenção de engenharia para suportar circulação do BRT

A informação foi dada a empresários, na Federação do Comércio, pelo presidente da Agência de Mobilidade Urbana (MOB).

Ponto será um dos polos do trajeto traçado pelo BRT (Foto: Divulgação)

A rotatória do Calhau, uma das áreas de trânsito mais conturbadas da cidade, por ser escoadouro do fluxo de veículos das avenidas dos Holandeses, Carlos Cunha e Colares Moreira, vai receber uma intervenção de engenharia nos mesmos moldes da aplicada nas rotatórias da Cohama e da Cohab-Anil a fim de suportar o trânsito que tende a se intensificar com a entrada em operação do BRT Litorânea. A informação foi dada a empresários, quinta-feira (24), na Federação do Comércio, pelo presidente da Agência de Mobilidade Urbana (MOB), Lawrence Melo Pereira.

De acordo com o presidente da MOB, este ponto será um dos polos do trajeto traçado pelo BRT, entre Araçagi (São José de Ribamar) e Calhau (São Luís). Para que não haja transtornos nessa área, onde deverá funcionar um dos terminais de integração com o sistema de ônibus tradicional, haverá esse tipo de intervenção para suportar o fluxo de carros.

Os veículos do BRT atingirão o retorno da Calhau, vindo da Avenida Litorânea, pela Avenida Colares, passando em frente ao Coco Bambu, Maciel Jardim e outros empreendimento e moradias. Desse ponto, eles seguirão em linha reta até o Araçagi. A entrada para a Litorânea para o percurso será a Avenida São Geraldo, onde funciona uma unidade do Serviço Social do Comércio (Sesc).

Conforme anúncio de Lawrence Pereira, a Avenida dos Holandeses será rebaixada em frente ao Quartel da Polícia Militar, nos dois sentidos, facilitando o deslocamento entre Calhau e Ponta d´Areia.

Na parte superior, que seria o piso atual, os veículos se movimentariam para seus destinos Litorânea, Renascença, Jaracati etc, bem como o BRT, que ali fará sua viagem de volta ao ponto de partida.

O presidente da MOB informou também que todos as rotatórias das Holandeses irão desaparecer e para substituí-las serão criados retornos nos mesmos moldes dos existentes no Jaracati, Aterro do Bacanga, Cohab-Anil e Forquilha. Ele diz ainda que os veículos do BRT se deslocarão numa caixa de concreto ao centro, mas não haverá redução das faixas de rolamento, que continuarão com duas ou três faixas (nos dois sentidos), ciclovias, pistas de cooper e paradas de passageiros.

Lawrence adianta que, apesar dos dois terminais de integração, passageiros dos ônibus comuns não poderão mudar de condução para prosseguir viagem com a mesma passagem, isto é, terão de adquirir um novo bilhete.

O projeto já está sendo executado na área do Araçagi e a previsão do Governo é que o sistema esteja em operação até o segundo semestre de 2021.

Carregando