Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Internos são inseridos em frentes de trabalho na rede estadual de ensino

Essa é uma ação do Governo do Maranhão para potencializar os trabalhos de reintegração social voltados às Pessoas Privadas de Liberdade.

Internas da UPFEM trabalhando na malharia (Foto: Divulgação)

Confecção dos uniformes de alunos da rede estadual de ensino, construção de carteiras escolares, produção de móveis, revitalização de Faróis do Saber e de escolas estaduais, todos serviços com utilização de mão de obra carcerária. Essa é mais uma ação do Governo do Estado para potencializar os trabalhos de reintegração social voltados às Pessoas Privadas de Liberdade (PPL´s).

A iniciativa, que conta com o trabalho de quase 500 internos, é fruto de convênio de cooperação técnica firmado entre as Secretarias de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e de Educação (Seduc). Como resultado desta parceria, na sexta-feira (8), foi inaugurado, totalmente restaurado por 15 internos, o Farol do Saber João Mohana, localizado no Bairro de Fátima. “Nesse convênio firmado com a Seduc teremos cerca de 490 internos inseridos em quatro importantes frentes de trabalho na esfera da educação. O objetivo, além de fortalecer as ações de reintegração social, é tornar a mão de obra carcerária cada vez mais útil para a sociedade”, afirma o secretário de Estado de Administração Penitenciária, Murilo Andrade.

Cerca de 350 internos e internas trabalharão na produção de 700 mil uniformes escolares. A linha de produção da malharia, com início no fim desse ano, funcionará no Complexo Penitenciário São Luís. Estima-se que serão utilizadas 140 toneladas de malha para a confecção dos uniformes.

Os internos trabalharão em dois turnos e serão responsáveis por diferentes linhas de produção como o corte, costura, sublimação, acabamento, controle de qualidade e a entrega do produto. Na primeira etapa serão entregues 350 mil uniformes até o mês de fevereiro, e os demais em julho.

“Parceria muito importante entre as Secretarias de Educação e Administração Penitenciária, que ao longo desses últimos anos tem rendido bons frutos para a educação maranhense. Já temos presos trabalhando na produção de carteiras e móveis, reforma de escolas, faróis do saber e, em 2020, todo o fardamento de estudantes da rede pública estadual será confeccionado por detentos maranhenses”, destaca o secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão.

Neste convênio, 25 custodiados do sistema prisional também produzirão, inicialmente, 2 mil carteiras escolares. O modelo específico foi desenvolvido pelo setor de engenharia da Seap. O projeto vai gerar uma economia de cerca de 60% aos cofres públicos. Os internos também realizam a reforma das carteiras e mesas escolares.

Os internos têm atuado ainda na reforma de duas importantes obras localizadas no bairro da Cidade Operária. Desde julho, 50 internos trabalham no retelhamento, instalação hidráulica e elétrica, limpeza, capina e pintura do Centro de Ensino Professor Ignácio Rangel. Os serviços também acontecem no Farol do Saber Sousândrade, com 15 internos realizando a revitalização da biblioteca.

Através da parceria, serão produzidos móveis planejados em MDF para o Instituto Estadual de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA). No projeto, 35 custodiados irão produzir 796 móveis, que serão entregues para escolas de tempo integral do governo do Estado.

Carregando