Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Favela já tem samba enredo oficial para 2020

A etapa final do concurso da Favela do Samba contou com a participação de quatro proposta

(Foto: Reprodução)

Em festa de muito samba a comunidade do Sacavém escolheu na noite de sábado/madrugada de domingo (16 e 17 de novembro) seu samba enredo para a temporada carnavalesca de 2020 com o tema inspirada no caminho grande, atualmente conhecida pela rua grande, a principal artéria comercial da cidade de São Luís na atualidade, tendo como samba vencedor, a proposta apresentada pelo carnavalesco e compositor Dominguinhos Lopes, Vilmar de Oliveira, Carlos Murilo Sá Pereira e Yeda Maranhão.

A etapa final do concurso da Favela do Samba contou com a participação de quatro proposta de autoria (por ordem de apresentação): Marcos Vinicius e parceiros; Carlos Cuica, Quirino e parceiros; Dominguinhos Lopes e parceiros; e Luzian e Josias. Ao todo nove propostas foram inscritas inicialmente, mas a final contou somente com as quatros melhores propostas selecionadas na eliminatória realizada no último dia 9 de novembro.

Para escolha do Samba favelense de 2020 foi formada uma comissão julgadora constituída por 11 integrantes, que incluiu nomes como o do carnavalesco Pedro Padilha e Remy Andrade (carnavalescos), Wilson Chagas (professor e coreografo de alas), Antonio Monteiro (ex-Presidente da Favela), Raimundo Barros (Promotor, ativista cultural e folião sambista), Monique Machado (coreografa oficial da Comissão de Frente favelense), Professora Rosa (Professora de Música do CACEN), Fernando Braga (Cineasta e folião sambista), Jesus (Ritmista representante da Bateria Carcará), Talyene Melônio (Bailarina organizadora da ala de passista favelense), entre outros.

Abaixo é transcrita a letra vencedora:

Enredo: “Uma trilha… Um Caminho… Uma Estrada… Uma Metamorfose Urbana: A Rua Grande é Nossa!”

Autores: Dominguinhos Lopes, Carlos Murilo Sá P*ereira, Vilmar de Oliveira e Yeda Maranhão.

Conta… A lenda…

Que virou história

Ao som dos tambores e ritos

Brotou… A veia da vida

O indio trilhou… (apé)… E navegou

No seio de upaon açú

Nesta cidade, nascida francesa

De encantos e nobreza

A cobiça do branco dominou

Então, a metamorfose se viu

Da trilha… O caminho grande surgiu

A estrada real… Em rua larga… Se fêz

E de barroca, portugal te adornou

Passo a passo o tempo passou…

Do cais ao interior (bis)

De corpo e alma… A ilha… Se ligou

Na Oswaldo cruz e grande se consagrou

Que magia!

A alegria invade os corações

Vidas, cenários da memoria

No cintilar das emoções

A rua grande… É nossa poesia

Viajo no teu chão de pedrarias

Em carruagens e bondes de outrora

Saudades, lembranças afloram

Da bela época… Das igrejas e moradas

Dos passeios e cinemas…

Entre vitrines e folias

A luta pelo pão de cada dia

Resiste… Teu comercio formal

E hoje, te vejo em cena

Enredo do meu carnaval

Voa… Voa meu carcará… (refrão)

a rua é nossa… É teu ninho… É teu chão

Favela, ó favela… Amor maior… Minha paixão

——————————————————–

Apé (trilhas caminhos) no vocabulário tupi guarani

Preludio

….és tão bela no vai e vem volto por ela…a rua grande é nossa passarela…com muito orgulho…eu sou favela.

Carregando