Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Parte quebrada na ponte do Estreito dos Mosquitos oferece risco a motoristas

O trecho do guarda-corpo quebrado está sem proteção provisória, e os veículos passam velozmente rente a ele.

Grade de proteção da Ponte Marcelino Machado continua quebrada, desde colisão com um caminhão, no mês de outubro passado (Foto: Gilson Ferreira)

Uma parte quebrada do guarda-corpo da Ponte Marcelino Machado é mais que uma lembrança do acidente ocorrido no dia 6 de outubro deste ano, quando uma carreta carregada de grãos quebrou a estrutura e caiu dela. É um perigo aos cinco mil carros que percorrem todos os dias os 460 metros da ponte (dado repassado pela Polícia Rodoviária Federal do Maranhão).

O trecho do guarda-corpo quebrado está sem proteção provisória, e os veículos passam velozmente rente a ele. Há pedaços de concreto pendurados por vigas quebradas no acidente. O piso está com vários fragmentos soltos.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros do Maranhão, Coronel Célio Roberto, foi o órgão quem colocou fitas de sinalização e quem amarrou uma mangueira preta na estrutura.

O inspetor da PRF, Antônio Noberto, informou já ter visto cinco acidentes neste ano na ponte Marcelino Machado; a maioria colisão traseira. O tempo em que a equipe de reportagem fotografava a área foi o suficiente para constatar que os veículos, principalmente as carretas, circulam sobre a ponte quase “voando”, ignorando os riscos.

Já sobre o acidente do mês passado, era madrugada quando a carreta carregada de grãos tombou. De acordo com a PRF, o veículo subiu a ponte Marcelino Machado e,

quando estava descendo, quebrou o guarda-corpo e caiu entre as duas pontes do Estreito dos Mosquitos. O motorista foi socorrido e levado para o hospital.

À época, as informações foram de que o condutor dormiu ao volante, já que não foram encontradas marcas de frenagem na ponte.

O inspetor Antônio Noberto garantiu que a perícia já foi concluída, mas o resultado dela não foi informado.

NOTA DO DNIT

Após solicitação da Reportagem do Jornal Pequeno, a Assessoria de Comunicação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) encaminhou à Redação do JP esta nota de esclarecimento:

“Sobre a recuperação do guarda corpo da Ponte Marcelino Machado, na Estiva, os técnicos do DNIT, após avaliação dos estragos causados pela colisão de uma carreta no referido dispositivo de segurança, verificaram a necessidade de realizar a contratação de uma empresa especializada em recuperação da estrutura, de forma a recompor o trecho do guarda corpo que foi danificado.

Face ao exposto acima, esclarecemos que o DNIT já está providenciando a realização de processo licitatório para a contratação da empresa que vai fazer os reparos necessários, o que demanda um certo período de tempo” (Equipe Ascom – DNIT/ MA).

Carregando