Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

HTO orienta pacientes e profissionais na ação Adorno Zero

As ações da campanha Adorno Zero seguem as orientações do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Personagens circularam pelo HTO em ação lúdica de conscientização (Foto: Rogério Sousa)

De forma lúdica, equipes do Hospital de Ortopedia e Traumatologia (HTO) do Maranhão orientaram profissionais de saúde e usuários do serviço durante a campanha Adorno Zero, realizada nesta sexta-feira (29), na unidade de saúde.

“O que queremos com este momento de educação é que, tanto aqueles que aqui trabalham como aqueles que estão na recepção, fiquem cientes de que a contaminação trazida junto com os objetos usados é um fator que coloca em risco o paciente. O simples gesto de tirar os adereços, também, pode ajudar na recuperação deles, evitando assim a exposição a contaminações internas e externas”, disse o diretor geral do HTO, Odair Teodoro Tostes.

As ações da campanha Adorno Zero seguem as orientações da Norma Regulamentadora n.º 32, instituída pela Portaria 485, de 11 de novembro do ano de 2005, no Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). A norma proíbe uso de brincos, anéis, colares, broches, piercing exposto, crachás pendurados com cordão e também gravatas em áreas onde exista contato com os agentes biológicos.

Participaram da ação os setores Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), Núcleo de Educação Permanente (NEP), Epidemiologia e Assistência Social, com cerca de 15 profissionais da unidade nas áreas de atendimento, na recepção, ambulatório, enfermagem, ala pediátrica e UTI.

Fantasiados de Miranda e Zé Dorno, a atriz Ana Eva Martins e o enfermeiro e executor da CCIH do HTO, Roque Rocha, circularam por vários setores do hospital orientando de forma lúdica pacientes e profissionais. “A intenção da ação foi mesclar humor e conscientização. Chegou à assistência e dependências como UTI e ambulatório que o procedimento é retirar todos os adornos e lavar as mãos para evitar bactérias invasoras”, explicou.

Os acompanhantes receberam orientação sobre o que é permitido ou não ser utilizado dentro da unidade. Por exemplo, ao entrar em área de UTI, enfermagem e ambulatório, a recomendação é seguir as normas de higienização, assim como não fazer contato das mãos com o rosto, evitar a ingestão e manipulação de alimentos na área interna e utilizar os Equipamentos de Proteção Individual.

Para Joedi Alves, de 26 anos, é importante reprisar as informações sempre que possível. “Estou acompanhando um primo que está na ala da enfermagem. Acredito ser de suma importância que as pessoas estejam sensibilizadas a obedecer às recomendações de não usar acessórios, pois assim todos saem beneficiados com as medidas de saúde e de segurança”, comentou.

A técnica em enfermagem que atua na UTI Ortopédica, Acilândia Tavares, reforçou os procedimentos da campanha. “No HTO, constantemente, recebermos orientações do CCIH. Independente de qual seja a especialidade, sempre recebermos dicas e recomendações para melhor cuidar da saúde de quem faz uso da unidade, assim como da nossa saúde também”, enfatizou a profissional.

Carregando