Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Caravana da Mulher Maranhense chega às comunidades indígenas de Grajaú

Foi a primeira vez que este serviço da Semu ofereceu atendimento exclusivo para a população indígena.

Atividade da Caravana da Mulher Maranhense em área indígena no município de Grajaú (Foto: Bruno Carvalho)

A Secretaria de Estado da Mulher (SEMU) está levando atendimentos para as mulheres e suas famílias em dezenas de povoados e distritos de municípios do Maranhão, por meio da Caravana da Mulher Maranhense.

De 25 e 27 de novembro, a Caravana, com a Carreta da Mulher e o Mamógrafo Móvel, atendeu no Distrito Sanitário Especial de Saúde Indígena no município de Grajaú. Foi a primeira vez que este serviço da Semu ofereceu atendimento exclusivo para a população indígena.

Em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e os municípios, a Carreta da Mulher Maranhense oferece exames preventivos (Papanicolau) e mamografias, palestras sobre prevenção do câncer de colo de útero e prevenção da violência doméstica. São realizadas consultas médicas, testes rápidos para HIV/Aids e hepatite B, aferição de pressão arterial, teste de glicemia, atendimento psicológico, escuta humanizada, entre outros serviços.

A chefe do Departamento de Gestão e Articulação (Dega), da SEMU, Kari Guajajara, ajudou na articulação para a realização da ação. “Nada disso seria possível sem a disposição de todos. Agradeço o cuidado que tiveram com meu povo. Meu coração enchia de alegria toda vez que olhava e via alguém interagindo, sorrindo ou conversando com alguma indígena. Me senti responsável por apresentar dois mundos tão diversos e agradeço a Tupã, o resultado de ver a interação e o respeito entre a diversidade de povos e culturas”, ressaltou.

A secretária de Estado da Mulher, Ana do Gás, destacou a importância do trabalho frente à realidade feminina indígena no estado, e elogiou o empenho dos profissionais da Carreta.

“Foram dias muito especiais, agradeço a toda equipe SEMU pela sensibilidade de perceber a população feminina indígena. A sensibilidade que demonstraram com as especificidades indígenas foi de extrema importância. Todos se envolveram e estiveram lado a lado com a realidade dessas mulheres e suas famílias. Tudo isso só foi possível graças a uma equipe técnica que tem o cuidado de encaminhar tudo”, disse a gestora.

Carregando