Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Empresários enviam documento ao governo com sugestões para retomada gradativa do comércio

Ainda assim, permanece a ideia da grande reunião com o governador Flávio Dino para um Pacto de Comprometimento Mútuo

A proposta sugere a retomada gradativa do comércio (Foto: Divulgação)

Diferentemente da nota encaminhada à imprensa na manhã dessa sexta-feira, em que ressaltam que é indispensável a adoção de medidas de auxílio emergencial às empresas, por parte do governo estadual, entidades empresariais elaboraram um documento com sugestões ao Governo do Estado para a retomada gradativa do comércio.

Ainda assim, permanece, e acredita-se que está sendo avaliada, a ideia, sugerida pelo Jornal Pequeno, de uma grande reunião do governador Flávio Dino com os representantes empresariais para firmarem um PACTO DE COMPROMETIMENTO MÚTUO.

DISTANCIAMENTO SOCIAL

No novo documento, protocolado na Secretaria de Indústria e Comércio (Seinc), os empresários afirmam que concordam com a necessidade de manutenção das medidas de distanciamento social.

O documento, endereçado também ao governador Flávio Dino, foi assinado em conjunto pelos presidentes de seis entidades empresariais: Antônio de Sousa Freitas (FECOMÉRCIO); Cristiano Barros Fernandes (ACM-MA); Maria do Socorro Teixeira Noronha (FCDL-MA); Fábio Henrique dos Reis Ribeiro (CDL São Luís); Fábio Henrique de Sousa (AJE-MA) e Felipe Mussalém (vice-presidente da FAEM). Nele, os líderes empresariais apresentaram sugestões para a retomada gradativa e planejada da operação comercial das atividades econômicas na capital maranhense, a partir próximo dia 5 de abril, com base em um Plano de Ação que seja criado pelo Governo (*O PLANO DE AÇÃO EVE SER CRIADO POR GOVERNO E CLASSE EMPRESARIAL, JUNTOS), caso haja a estabilização de casos de Covido-19 no Estado.

“Tal iniciativa se deu segundo os empresários, devido à urgência de equacionar impactos da crise econômica local, cujos efeitos já se fazem sentir”, afirma nota distribuída à imprensa pelas entidades. Os empresários se dizem preocupados com os “impactos negativos dramáticos que a suspensão total do comércio venha acarretar na economia local”, e ressaltam que são favoráveis à manutenção de rígidos protocolos de controle nas lojas, caso voltem a funcionar em horário reduzido a princípio, para garantir a necessária segurança sanitária.

O documento sugere que, inicialmente por 15 dias, a partir de 05.04, as lojas de rua voltem a abrir das 9 às 14h, enquanto as lojas de shoppings centers e galerias comerciais funcionariam das 14 às 19h, “cumprindo regras coletivas de distanciamento social e higienização”.

“Após esse período, e havendo a estabilização dos números da pandemia, mediante a avaliação do Governo do Estado em conjunto com as entidades empresariais, aconteceria a ampliação dos horários de funcionamento do comércio, até a normalização total das atividades”, dizem os empresários.

No documento, as entidades empresariais cobram, ainda, uma “resposta formal” do Governo do Estado em relação à correspondência que foi encaminhada e protocolada no dia 24.03.20. Esse documento contém nove propostas de apoio emergencial aos setores do comércio e serviços para o enfrentamento da crise, solicitadas formalmente pelas entidades empresariais ao Governo do Maranhão.

“É imprescindível que o Governo se posicione em relação às reivindicações da classe empresarial, no sentido de viabilizar medidas que tranquilizem e apoiem as micro e pequenas empresas”, finalizam.

Carregando