Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Crédito do BNB à pecuária cresce quase R$ 1 bilhão e impulsiona crescimento da produção em 2021

As operações do BNB somaram R$ 5,2 bilhões em 2021. Alta de 23% em relação ao ano anterior

O monitoramento das atividades pecuárias no país mostrou que a região nordestina apresentou crescimento acima da nacional em 2021 em todos os itens pesquisados. O item com maior destaque foi a produção de suínos abatidos no Nordeste que cresceu 30%, em 2021, e 7,3% no País, de acordo com estudo do Escritório Técnico de Estudos Econômicos do Nordeste (Etene). Em paralelo, a oferta de crédito do Banco do Nordeste (BNB) para a pecuária cresceu quase R$ 1 bilhão entre 2020 e 2021. No ano passado, as operações somaram R$ 5,2 bilhões. Alta de 23% na oferta de crédito no período. 

Segundo o gerente executivo do Etene, Allisson David de Oliveira Martins, existe uma relação direta entre oferta de crédito e aumento de produção. “Em grande medida, o crédito é agente catalisador da atividade econômica, por viabilizar de forma célere o funcionamento das cadeias produtivas, seja na melhoria de produtividade por meio de máquinas e equipamentos, por exemplo; ou na aquisição de matérias-primas e insumos”, explica.

Ainda de acordo com o economista, o Banco do Nordeste se destaca no financiamento às atividades pecuárias, na medida em que entende ser um setor chave e força motriz do desenvolvimento econômico na região. Com isso, a instituição cumpre um duplo papel social. “Uma vez que estas atividades econômicas, além de serem componentes importantes da dinâmica econômica, também são de extrema importância para a alimentação da população, em particular na área de atuação do banco”, conclui.

Produção de ovos, leite e carnes
Uma das áreas mais beneficiadas com o aumento no crédito no ano passado foi a produção de ovos, que recebeu R$ 5,5 milhões a mais do Banco ou 43% de alta, na comparação com 2020. Na Região, houve crescimento dessa produção de 7% no período, enquanto a produção nacional ficou praticamente estável (0,2%).

Enquanto a produção de leite no Brasil caiu 2,2% entre os anos de 2020 e 2021, houve crescimento de 4,7% no Nordeste. No mesmo período, a liberação de crédito do BNB para essa atividade somou R$ 899 milhões. Assim como o leite, os principais produtos alimentícios da pecuária na Região também apresentaram desempenho superior ao nacional.

A produção de suínos abatidos nos estados nordestinos cresceu 30%, em 2021, e 7,3% no País. Para essa atividade, o crédito do BNB cresceu 14,9% (passou de R$ R$ 218,6 milhões para R$ 251 milhões na comparação com o ano anterior). O frango, outro importante item da alimentação, teve sua produção aumentada em 7,2% na Região enquanto, no Brasil, o crescimento foi de 2,8%. Acompanhando esse movimento, o crédito do Banco cresceu R$ 27 milhões e fechou 2021 em R$ 294 milhões.

Altas semelhantes tiveram a atividade de bovinos para corte (0,6% no Nordeste contra -7,8% no País – mantendo os mesmos períodos de comparação) e a oferta de crédito de Banco (8%). Em 2021, foram aplicados R$ 3 bilhões em bovinocultura.

Carregando