Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Governo anuncia novo Ministro da Educação

O economista e professor Abraham Weintraub é o novo ministro da Educação. Ele foi anunciado na manhã desta segunda-feira (8)

Foto: Reprodução

O economista e professor Abraham Weintraub é o novo ministro da Educação. Ele foi anunciado na manhã desta segunda-feira (8), no Twitter, pelo presidente Jair Bolsonaro.

Também pela rede social o presidente anunciou a demissão do ministro Ricardo Vélez Rodrigues, após encontro do Palácio do Planalto esta manhã. Colombiano, Vélez há dias vinha enfrentando uma “briga interna” dentro do MEC, resultado de desentendimentos entre militares que compõe o atual governo e seguidores do escritor Olavo de Carvalho – filólogo que é “guru” de Bolsonaro e quem indicou Vélez para o cargo.

“Comunico a todos a indicação do Professor Abraham Weintraub ao cargo de Ministro da Educação. Abraham é doutor, professor universitário e possui ampla experiência em gestão e o conhecimento necessário para a pasta. Aproveito para agradecer ao prof. Velez pelos serviços prestados”, escreveu o presidente.

Ricardo Vélez é o segundo ministro demitido, em menos de 100 dias do novo governo federal. O primeiro foi Gustavo Bebianno, amigo pessoal de Bolsonaro e ex-presidente PSL, partido do presidente, que deixou a Secretaria de Governo, após denúncia de favorecer candidatura laranjas nas eleições passadas.

Situação insustentável

Na última sexta-feira (5), Bolsonaro deixou claro que a situação de Vélez estava insustentável. Ele sinalizou que daria uma posição nesta segunda-feira à “crise” gerada dentro do MEC.

“Está bastante claro que não está dando certo o ministro Vélez. É uma pessoa honrada, mas está faltando gestão. Na segunda-feira, vamos tirar a aliança da mão direita, ou vai para a esquerda ou vai para a gaveta”, declarou. Ao ser informado pela imprensa, da declaração de Bolsonaro, Vélez chegou a firmar que não pediriam demissão do cargo.

Quem é Abraham Weintraub

O economista Abraham Bragança de Vasconcellos Weintraub integrou a equipe de transição do atual governo federal. Ele foi apresentado a Bolsonaro, em novembro, pelo então ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni (DEM), hoje ministro-chefe da Casa Civil. A ideia era que ele fosse o número 2 da Caixa Civil, por ser um economista. Sua função na transição foi justamente requisitar informações de órgãos públicos e entidades da Administração Pública Federal.

Weintraub atuou no setor financeiro em vários bancos no Brasil por mais de 20 anos. Foi sócio na Quest Investimentos, diretor do Banco Votorantim, membro do comitê de trading da BM&F Bovesp, conselheiro da Ancord e representou o Votorantim em encontros do Fundo Monetário Internacional (FMI).

Ele é formado em Ciências Econômicas pela Universidade de São Paulo (USP), em 1994. Professor da Universidade Federal de São Paulo, Mestre em Administração pela FGV e MBA Internacional do OneMBA, pelas escolas: FGV/Brasil, CUHK/China, RSM/Holanda, UNC/USA e TEC/México.

Carregando