Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Marcial Lima solicita audiência para tratar sobre demissão de cobradores de ônibus em São Luís

Segundo Marcial Lima, as novas adaptações nos ônibus afetarão 20% da categoria que, de acordo com dados do Sindicato das Empresas de Transporte (SET), possui cerca de 2,5 mil cobradores

Foto: Reprodução

Por meio do requerimento 291/19, o vereador Marcial Lima (PRTB) solicitou ao presidente da Câmara Municipal de São Luís, vereador Osmar Filho (PDT), a realização de uma audiência pública para debater sobre as demissões de cobradores no sistema de transporte coletivo da capital.

A solicitação pede que cópias sejam enviadas para o prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT); ao titular da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), Canindé Barros; também à Defensoria Pública do Estado do Maranhão, ao sindicato dos Rodoviários, Ministério Público Estadual, Associação dos Usuários de Transportes Públicos e à Agência de Mobilidade Urbana.

Segundo Marcial Lima, as novas adaptações nos ônibus afetarão 20% da categoria que, de acordo com dados do Sindicato das Empresas de Transporte (SET), possui cerca de 2,5 mil cobradores.

Durante audiência de conciliação realizada no dia 29 de março, no Tribunal Regional de Trabalho (TRT-MA), o Sindicato dos Rodoviários assinou documento concordando com a demissão dos funcionários.

“O que o Sindicato dos Rodoviários fez com a categoria foi um absurdo! Assinou a demissão de 250 empregados. É um sindicato pelego e medroso”, afirmou Marcial Lima.

Para o vereador, além de acarretar problemas para a categoria, a demissão dos cobradores também será prejudicial para os usuários dos ônibus. E cita o acúmulo de funções do motorista, que já vivencia uma rotina estressante, assim como, o aumento nas filas para embarque em pontos de grande movimento, o que impactará diretamente no trânsito em horários de picos.

“A Câmara precisa discutir sobre esse assunto. Precisamos ouvir as categorias para saber o que está acontecendo. Não podemos ficar omissos e deixar que a cidade perca mais postos de trabalho”, salientou Marcial Lima.

Carregando