Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Dez perguntas e respostas sobre o óleo no litoral do Maranhão

Dúvidas podem ser esclarecidas por meio da Marinha, IBAMA e Bombeiros.

Foto: Reprodução

Em meio ao grave problema enfrentado no litoral nordestino, devido às manhas de óleo que poluíram diversas praias e preocupam o país inteiro, a Secretaria de Estado do Turismo (Setur) elaborou alguns questionamentos com as devidas respostas sobre ocorrências no Maranhão.

Confira abaixo algumas dúvidas que pairaram sobre os maranhenses, que são respondidas nos dez itens a seguir:

1. O Maranhão foi atingido pelo óleo?
O Maranhão foi um dos Estados nordestinos menos atingidos. No entanto, toda a orla tem sido monitorada.

2. O que aconteceu com o óleo que chegou ao Maranhão?
A maior parte já foi retirada, com a ajuda dos bombeiros, do Ibama, das secretarias de Meio Ambiente, de técnicos e de moradores. Caso haja novas incidências, o óleo continuará sendo removido.

3. Houve interdição de praias ou lagoas?
Nenhuma praia ou lagoa foi interditada no Maranhão.

4. As lagoas dos Lençóis Maranhenses foram atingidas?
Nenhuma lagoa foi atingida. Vestígios encontrados nas dunas já foram limpos e seguem monitorados.

5. Mas há imagens mostrando óleo nas lagoas dos Lençóis Maranhenses?
Não. O que aparece são restos de vegetação, comuns nesta época do ano, em que as lagoas estão mais secas. Vistas do alto, podem dar a impressão de serem manchas de óleo, mas não são.

6. De onde vêm esses dados?
Do site oficial do Ibama. O mapa mostra que 268 locais do Nordeste foram atingidos. Destes, três no Maranhão (dois em Santo Amaro e um em Cururupu) estão com o que se chama de vestígios esparsos, ou seja, com baixo impacto.

7. Há alimentos contaminados?
Não há nenhum caso reportado de contaminação e várias análises laboratoriais têm sido feitas.

8. A situação está sendo acompanhada?
O monitoramento continua até que o problema esteja totalmente solucionado.

9. Quem é responsável por acompanhar e monitorar a situação?
O Grupo de Acompanhamento e Avaliação (GAA), formado pela Marinha do Brasil, o Ibama e a Agência Nacional do Petróleo (ANP). Mas as secretarias Estaduais e Municipais, além dos bombeiros, exercito, Icmbio também monitoram e disponibilizam apoio às ações.

10. De onde veio o óleo?
Testes feitos pela Petrobras e pela Marinha indicam que o material não é brasileiro, mas análises conclusivas ainda não foram divulgadas.

Na dúvida se é óleo, ligue para:

Marinha – 08000988432
IBAMA – 0800618080
Bombeiros – 193

Carregando