Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Prefeitura de São Luís combate trabalho infantil em cemitérios

Ações ganham reforço no período do Dia de Finados. Comitê Municipal Intersetorial de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil é parceiro.

Com campanha de conscientização, Prefeitura de São Luís combate trabalho infantil em cemitérios (Foto: Divulgação)

“Eu não compro, eu não contrato, eu não aceito. Enterre essa ideia”, este é o tema da campanha que a Prefeitura de São Luís realiza contra o trabalho infantil e que está percorrendo os cemitérios da cidade em busca de prevenir e coibir a incidência do problema, especialmente nos dias que antecedem o Dia de Finados, quando aumenta a procura de mão de obra para manutenção e limpeza de jazigos. A campanha tem a coordenação da Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social (Semcas), em parceira com o Comitê Municipal Intersetorial de Prevenção e Erradicação ao Trabalho Infantil (COMIPETI).

O combate ao trabalho infantil é uma ação constante da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior que ganha reforço nesta época do ano. Nesta sexta-feira (1º), o trabalho das equipes teve início no Cemitério do Gavião, localizado no bairro Madre Deus, região do Centro de São Luís.

A secretária da Semcas, Andréia Lauande, explica que as ações de enfrentamento ao trabalho infantil que são desenvolvidas na cidade cumprem um calendário. “O mês de novembro é de um intensa agenda, por conta de uma prática costumeira do uso das crianças e adolescentes do trabalho nos cemitérios”, explica a secretária.

De acordo com a terapeuta ocupacional Patrícia Tocantins, integrante do Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (CEREST), um dos órgãos que compõem o COMIPETI, esta ação está ocorrendo em cemitérios públicos e privados da capital. As equipes do Comitê também visitam as comunidades vizinhas aos cemitérios, com ações de conscientização sobre a importância da proteção aos direitos das crianças e adolescentes. “Este trabalho é intensificado neste período do ano nestas áreas de cemitérios, mas também há um trabalho mais amplo feito pelo Comitê, realizado em escolas, durante o restante do ano”, ressaltou.

“No ano passado até tinha uns meninos trabalhando na limpeza dos jazigos, aqui no cemitério. Para uma família pobre, este é o momento de ganhar algum dinheiro com a pintura dos túmulos, capina e limpeza. Isto sempre acontecia, mas este ano parece que diminuiu muito”, disse Wilson Guimarães Ramos, de 79 anos, morador do bairro São Francisco. Aposentado, ele é uma das dezenas de pessoas que se dispõem, neste período do ano, a realizar a manutenção e pequenos reparos nos túmulos e jazigos do Cemitério do Gavião, em busca de uma renda extra.

De acordo com os integrantes do Comitê, quando um caso de trabalho infantil é identificado são acionados os membros do Conselho Tutelar da Criança e Adolescente, que realizam as primeiras abordagens e encaminhamentos para os Centros de Referência da Assistência Social (Cras) e Centros de Referência Especializados da Assistência Social (Creas).

Este é o segundo ano que se realiza esta campanha, que oficialmente teve início no dia 12 de outubro. As primeiras ações da campanha foram desenvolvidas na rede escolar do município com oficinas educativas e participação de pais e responsáveis. Foram também proferidas palestras para crianças atendidas nos Cras e Creas.

PATRULHA

As ações da campanha “Eu não compro, eu não contrato, eu não aceito. Enterre essa ideia” nesta sexta-feira (1º) foram iniciadas no Cemitério do Gavião e, em seguida, nos cemitérios dos bairros Vinhais (Parque da Saudade), São Raimundo e São Cristóvão.

A campanha conta com o apoio do Ministério Público do Trabalho, Ministério Público do Estado do Maranhão; das prefeituras de Paço do Lumiar, de São José de Ribamar e Raposa; do Fórum Estadual de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil no Maranhão (Fepetima) e COMIPETI.

Carregando