Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Paradoxo: Certeza da incerteza

Viver tendo a real experiência de que o futuro é incerto nem sempre é uma tarefa fácil

Foto: Reprodução

Viver tendo a real experiência de que o futuro é incerto nem sempre é uma tarefa fácil.

No dia a dia, tentamos controlar nossos pensamentos, controlar os outros para agir da forma que acreditamos ser certo, controlar as nossas emoções e nos limitamos à crença de que expor nossa vulnerabilidade é fragilidade.

Controlamos nossos pais, filhos, amigos, bens, sentimentos…

O medo de soltar as incertezas nos leva a um grande e profundo aprisionamento.

Acreditamos que podemos controlar algo ou alguém.

O coronavírus chegou de forma avassaladora não só nos grupos de risco, como idosos e pessoas com comorbidades. Ele também chegou com grande força nos campos mais sutis, no oceano ilimitado das possibilidades.

Ele nos trouxe a real percepção do valor da incerteza, da importância de vivermos o aqui e o agora.

Quanto tempo nos afastamos do nosso habitat natural, da nossa natureza interior, do único lugar que verdadeiramente existe – O AGORA.

Como negligenciar este fato que não é apenas um cenário: é a vida tão como ela é. Este tempo presente.

Ousamos negligenciar nossa essência, aquilo que veio ao mundo por meio de nós, que está além de nós: o nosso verdadeiro SER.

Nossa essência, por ser tão silenciosa, não conseguimos mais parar e ouvi-la.

Esvaziar para ouvir também não parece mais uma tarefa fácil nesse universo de tantas ‘certezas’, sublimando a nossa verdade.

Com tantos ruídos, nem nos damos conta de que é só no nada que encontramos o tudo.

0.0001% é matéria no universo que 99,999% é espírito.

E como já dizia Deepack Chopra, “reconhecer-se como uma gota de luz no mar do ser é algo que acontecerá mais cedo ou mais tarde”.

Patricia Rabelo Bogéa de Matos
Fisioterapeuta
Esp. Microfisioterapia, Leitura Biológica, Terapia Manual, Terapia Cranio Sacral e Psych-k

Atendimento Online: (98) 98105-1414

Carregando