Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Apesar do elevado número de casos da Covid-19 em São Luís, Rua Grande segue com movimento intenso

Apesar dos números negativos, o movimento na Rua Grande segue como em dias sem Covid-19

Apesar de São Luís aparecer como uma das 12 capitais em estado de emergência devido ao coronavírus, movimento de pessoas na Rua Grande segue como se fosse em um dia normal (Foto: Gilson Ferreira)

Desde o dia 9 de abril, o Jornal Pequeno vem informando que o movimento na Rua Grande parece de um dia sem pandemia. Não há distanciamento adequado entre os vendedores ambulantes – que estão tomando conta da rua – e as pessoas que estão indo às compras.

Na manhã de ontem (14), mais uma vez, a reportagem registrou a intensa presença de pessoas na principal via do comércio de São Luís. Há policiais militares por toda a parte da rua, mas eles somente ficam parados em grupos.

A Prefeitura informou na semana passada que enviaria uma equipe da Blitz Urbana ao local. Se foi, a informação dos próprios ambulantes é que os vendedores não foram forçados a sair da Rua Grande. Na via, uma loja de roupas está aberta e atende aos clientes, nos serviços de impressão de boleto e pagamento de fatura do cartão do estabelecimento. Na porta desta loja, havia aglomeração, devido várias pessoas procurarem o serviço de impressão da fatura, ou o pagamento da conta.

Na Rua de Santana, em meio aos estabelecimentos não essenciais fechados, a loja Cantinho Doce decidiu abrir e realiza atendimento normal aos clientes.

São Luís entre as capitais em situação de emergência

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado na última segunda-feira (13), pelo Ministério da Saúde, o Brasil tem 12 capitais em situação de emergência por conta da Covid-19, considerando a taxa de incidência da doença. São Luís está na sétima posição, sendo que o ranking é liderado por Fortaleza, seguida por São Paulo, Manaus, Macapá, Florianópolis e Recife.

A capital maranhense está à frente do Rio de Janeiro, Vitória, Porto Alegre, Brasília e Boa Vista. Os bairros da capital maranhense com maior número de casos são: Calhau (29 casos), Renascença (29 casos), Turu (21 casos), Ponta d’Areia (15 casos) e Cidade Operária (14 casos).

Segundo o titular da Secretaria de Saúde do Estado (SES), Carlos Lula, em relação ao resultado do boletim epidemiológico do Ministério da Saúde, o número de casos apresentados tem relação com o número de testes feitos. “Há estados que fizeram pouquíssimos testes, e os número não aparecem. A região Norte realizou número baixo de testes, e o mesmo ocorreu com cinco estados do Nordeste. No Maranhão, já temos quase três mil testes feitos”, informou o secretário Carlos Lula.

O titular da SES informou que o percentual de testes com diagnósticos positivos, no Maranhão, é de 17%. Ou seja, 17% dos quase três mil exames realizados deram positivos. Carlos Lula declarou que a quantidade de óbitos é preocupante, pois a taxa de letalidade é de 6%. São Luís tem atualmente 30 óbitos, e Paço do Lumiar, 2.

De acordo com o boletim da SES, as quatro últimas mortes ocorreram na capital maranhense, todas no domingo de Páscoa. Sobre leitos, em São Luís a taxa de ocupação é de 45%, nas UTIs. A capital maranhense tem o total de 80 leitos de UTIs, e mais 80 leitos clínicos exclusivos para o Covid-19. Leitos de UTIs desocupados são 44, e ocupados são 36. Leitos clínicos livres são 52 e ocupados são 28. Já no interior do estado, há 50 leitos livres de UTI e 36 leitos clínicos desocupados.

O secretário informou que há casos de pacientes infectados pelo Covid-19 que não precisam ou precisarão de leitos, porém essas pessoas devem ter acompanhamento médico/ hospitalar constante.

Carregando