Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Aceitar o outro como é

O sofrimento vem da não aceitação, da resistência e do medo de soltar

Foto: Reprodução

Assim como tem pedra que é mais pontuda do lado direito que o esquerdo; árvore que cresce um metro e outra cinco metros; cachorro que tem pintas brancas e outros não; assim são os seres humanos, nascemos com talentos mais desenvolvidos e outros menos, uns com facilidade para pintar, outros para cantar e outros para escrever; um que se expressa presenteando, outros falando e outros sentindo e assim as possibilidades são as mais diversificadas possíveis.

Temos múltiplos campos energéticos que em pesquisa já foram publicados em média de até 50 diferentes campos de energia pessoal que atraem ou repelem sensações, desta forma, se explica o que faz termos afinidades tão rápido com algumas pessoas e outras que repelimos sem compreensão.

O estudo dos campos energéticos nos leva a compreensão dos corpos além do corpo físico e da importância de cuidarmos dos nossos corpos sutis dos nossos sentimentos, daquilo que não se explica apenas se sente e o mais importante: a importância de aceitarmos uns aos outros da forma como são, e não da forma como gostaríamos que ele fosse.

O sofrimento vem da não aceitação, da resistência e do medo de soltar.

A aceitação liberta!

Patrícia Rabêlo Bogéa de Matos
Fisioterapeuta
Esp. Microfisioterapia, Leitura Biológica, Terapia Manual, Terapia Crânio Sacral e Psych-k

Carregando