Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Prédio no Calhau atingido por incêndio segue interditado

Liberação do local ocorrerá mediante a atualização de alguns itens de segurança, além de uma Reserva Técnica de um engenheiro.

Foto: Reprodução

Continua interditado o Condomínio Punta Del Este, no bairro do Calhau, em São Luís, onde um dos apartamentos do terceiro andar pegou fogo, no início da noite de quarta-feira (19).

Moradores do prédio, que possui 15 andares, tiveram dificuldade em sair do local, que só teve as chamas totalmente contidas por volta das 3h de ontem (20).

O major Lisboa, do Corpo de Bombeiros, explicou que a notificação da Diretoria de Atividades Técnicas (DAT) do órgão e da Defesa Civil consta que a liberação do prédio ocorrerá mediante a atualização de alguns itens de segurança, além de uma Reserva Técnica de um engenheiro.

Segundo o major, o laudo que indicará a causa do incêndio só sairá em alguns dias. Os indícios apontam para o fio de energia de um ventilador de teto do local, informação também repassada pela proprietária do apartamento atingido. O fogo se alastrou rápido dentro do imóvel, mas não chegou a outros apartamentos.

Durante a manhã de ontem (20), uma vistoria técnica avaliou as condições de combate a incêndio do condomínio e se a estrutura teria sido comprometida. O imóvel no qual começaram as chamas será escorado, segundo o Corpo de Bombeiros.

DIFICULDADE NO COMBATE AO INCÊNDIO

Para alguns moradores que acompanharam o trabalho dos bombeiros, durante o combate ao incêndio, as equipes tiveram dificuldade em conter as chamas e até água teria faltado no momento, tendo sido preciso solicitar o auxílio de carro-pipa. Em razão disso, eles acreditam que a falta de estrutura foi fundamental para a demora em apagar o fogo no local.

Conforme o major Lisboa, o condomínio não possuía o sistema preventivo de incêndio em pleno funcionamento, o que fez com que as equipes implementassem um outro sistema, utilizando mangueiras para o combate.

“Nós tínhamos água, sim. Deslocamos quatro viaturas de cinco mil litros, que são mais rápidas; e logo em seguida, tivemos mais um aporte de uma viatura grande com 25 mil litros. Não houve falta de água, o que houve foi falta de pressão fornecido aqui pelo sistema preventivo fixo, que é o que nós dos bombeiros esperamos que esteja em pleno funcionamento”, garantiu.

Em nota, o Corpo de Bombeiros do Maranhão também ressaltou que todos os procedimentos necessários foram tomados visando a segurança dos moradores. Na primeira ação, foi feita evacuação do prédio e iniciado o combate às chamas interna e externamente.

“O combate às chamas encerrou às 22h30, mas por volta das 1h40 da madrugada ouve uma reignição, sendo novamente necessária a atuação do Corpo de Bombeiros para fazer o rescaldo. Os militares finalizaram a ocorrência por volta das 3h e realizaram a interdição do prédio juntamente com Defesa Civil. Não foi registrada a existência de vítimas em nenhum dos acionamentos”, diz trecho da nota.

Carregando