Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Duarte Júnior acredita que irá para o 2º turno e será eleito prefeito de São Luís

Duarte afirma que inicia a última semana da campanha com ânimo redobrado

Foto: Reprodução

Nas urnas de 7 de outubro de 2018, Duarte Júnior, abrigado no PCdoB, saiu consagrado como o terceiro deputado estadual mais votado
no Maranhão, com um total de 65.144 votos. Agora candidato à sucessão do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT), Duarte inicia a última
semana da campanha com ânimo redobrado. A mais nova pesquisa Ibope, divulgada na sexta-feira (6), o aponta como o segundo colocado da disputa.

O deputado Eduardo Braide (Podemos) lidera as intenções de voto com 36%. Duarte Júnior, agora abrigado no Republicanos, aparece com 22%, de acordo com levantamento realizado pelo Ibope.

“Todas as pesquisas apontam para a realização de segundo turno, e, o melhor, com o 10 na disputa, levando a esperança de muitos ludovicenses por uma cidade melhor para todos”, afirmou o deputado Duarte Jr.

Candidato da coligação “Resgate o Amor pela Ilha”, ele concedeu esta entrevista ao Jornal Pequeno para falar sobre suas propostas:

Jornal Pequeno – O que se pode considerar como prioridade absoluta em sua plataforma de campanha?
Duarte – A nossa prioridade máxima será a saúde, em que temos a missão de zerar as filas por atendimento por consultas ou exames. Vamos fortalecer o SUS, mas, se for preciso, faremos convênios com clínicas particulares. É um procedimento que o governador Flávio Dino já
faz desde o início da pandemia.

JP – E como fazer?
Duarte – Como fazer? Cortando gastos, revisando contratos, diminuindo, por exemplo, despesas com comunicação. E para suprir uma situação emergencial ocasionada pela pandemia, vamos também criar o Auxílio Municipal no valor de 200 reais para atender temporariamente àqueles que mais precisam. Entre os recursos, os quase 11 milhões que a prefeitura investe em comunicação podem ser
utilizados garantir o auxílio a 50 mil famílias. Vamos também reverter em recursos os impostos dos grandes devedores, a exemplo de universidades particulares que devem há décadas impostos à Prefeitura, além de planos de saúde e bancos.

JP – Sua opinião sobre as pesquisas divulgadas até agora
Duarte – Pesquisas são recortes de um momento. Praticamente todas – a exceção é apenas uma encomendada por uma emissora que apoia outro candidato – indicam que vamos para o segundo turno. Esse é o reflexo que sentimos nas ruas, no dia a dia, no olhar das pessoas que
confiam em nossas propostas e nos resultados que conseguimos à frente dos cargos públicos que ocupamos.

JP – Qual sua impressão sobre esta fase final da campanha?
Duarte – Infelizmente, há candidatos que tentam denegrir a honra de adversários, por meio de fake news, além de um grupo midiático que tenta beneficiar um filho de político e é contra que um filho do povo chegue à prefeitura. Mas vamos seguir firmes. Para cada mentira, vamos
utilizar os meios legais para restabelecer a verdade, além de continuarmos focados em ideias e propostas para tornar a nossa São Luís melhor.

JP – Que candidatos poderiam fazer uma campanha mais civilizada?
Duarte – Conheço boa parte deles, e acredito que alguns teriam condição de fazer um debate propositivo, mas, infelizmente, as fake news têm sido o recurso mais utilizado por aqueles que não querem discutir a cidade e preferem manter as regalias em cargos públicos.

JP – Como deve ser este cenário de um segundo turno?
Duarte – Todas as pesquisas apontam para a realização de segundo turno, e, o melhor, com o 10 na disputa, levando a esperança de muitos
ludovicenses por uma cidade melhor para todos.

JP – Qual sua análise sobre a administração do prefeito Edivaldo, nestes dois mandatos à frente da Prefeitura de São Luís?
Duarte – O prefeito Edivaldo vai entregar uma cidade muito melhor do que encontrou. Fez uma gestão correta, honesta e com bons resultados. É claro que não dá para acertar em tudo, mas os erros são muito menores do que os acertos.

JP – Que influência podem ter nestas eleições figuras como Lula, Sarney, Bolsonaro, Flávio Dino e o prefeito Edivaldo?
Duarte – Cada um tem uma história, e as influências mais significativas sempre vão ser de quem apresenta resultados e benefícios para a população.

JP – Qual sua opinião sobre as alianças que os outros candidatos estabeleceram para estas eleições?
Duarte – Ninguém governa sozinho. E na democracia, o diálogo e a convergência de propósitos, inclusive entre ideais diferentes, são necessários quando há meritocracia e competência técnica. Alianças devem ser para agregar projetos em comum que se concretizem em políticas públicas que sirvam à população, principalmente aos que mais precisam. Diferentemente dos conluios, das trocas de favores em benefício próprio ou de grupos que aparelham a administração pública.

JP – Que reflexos estas eleições em São Luís poderão ter na sucessão do governador Flávio Dino, em 2022?
Duarte – As previsões podem ser inúmeras, e cada analista faz a sua. Mas todo período tem particularidades e reflete a conjuntura do momento, e ainda há muito por acontecer. O fato é que o próximo governador terá a imensa responsabilidade de dar continuidade à gestão do melhor governador que o Maranhão já teve.

JP – Como tem sido a experiência de fazer campanha nestes tempos de pandemia do coronavírus?
Duarte – Desde o início, todos os cuidados estão sendo tomados, como uso de máscara, higienização, mas é impossível fugir de um abraço sincero que deposita esperança em nossas propostas para tornar uma São Luís com mais qualidade de vida e oportunidades.

Carregando