Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Clube de Alagoas tenta provar na Justiça sua participação na formação de Marinho

Em vídeos publicados nas redes sociais, jogador afirma que iniciou sua carreira no clube alagoano.

Marinho quando defendia o Penedense de Alagoas (Foto: Divulgação)

O Sport Club Penedense, clube mais antigo de Alagoas, tenta provar na Justiça que o atacante Marinho atuou por lá entre janeiro de 2003 e junho de 2006, dos 12 aos 16 anos. O documento emitido pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF) sobre a carreira do jogador atualmente no Santos consta só informações a partir de 2006, o que mobiliza o modesto time nordestino nos bastidores.

O medo do Penedense é que o atacante, semifinalista da Copa Libertadores, na melhor fase da carreira, seja negociado no mercado da bola nos próximos meses e o clube não tenha direito de receber a porcentagem equivalente ao mecanismo de solidariedade da Fifa, criado para recompensar financeiramente todos os clubes que participaram da formação de um atleta, dos 12 aos 23 anos.

Marinho já teve transferências com altas cifras na carreira: do Vitória ao Changchun Yatai, da China, por R$ 17 milhões, em 2017, e do clube asiático para o Grêmio, no ano seguinte, por cerca de R$ 8 milhões. Em maio de 2019, o Santos pagou ao time gaúcho R$ 3 milhões, mais os direitos econômicos do zagueiro David Braz em troca, pelo atacante que hoje soma 64 jogos e 30 gols.

O Penedense teria direito a algo próximo de 1% desses valores, mas como não há registro da passagem nada foi recebido. Dirigentes ouviram nos bastidores a possibilidade de uma grande oferta de um clube dos Emirados Árabes por Marinho nas próximas semanas e decidiram intensificar esforços para provar a tal passagem com súmulas de jogos. Imagens do jogador criança com a camisa do time e até vídeos publicados nas redes sociais em que Marinho afirma que iniciou sua carreira no clube alagoano.

Houve uma tentativa em 2017, quando Marinho estava na China, mas a CBF não tinha como alterar o passaporte desportivo porque, segundo informações, a Fifa não estava permitindo em razão do excesso de alterações de registros nos anos anteriores. Isso acontece porque muitas federações eram precárias nos registros de jovens jogadores e os clubes descobrem os fatos aos poucos.

Hoje, há registros de Marinho nos seguintes clubes: Santa Rita/ Corinthians Alagoano (2006 a 2009), Fluminense (2007 e 2008), Internacional (2009 a 2013), Caxias (2011), Paraná (2012), Ituano (2013), Náutico (2014), Ceará (2015), Cruzeiro (2015 a 2018), Vitória (2016 a 2018), Changchun Yatai (2017 e 2018), Grêmio (2018 e 2019) e Santos (a partir de 2019). Ele tem contrato até 31 de dezembro de 2022.

Carregando