Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Preso envolvido no assassinato de tenente-coronel da PMMA em São Luís

Segundo a Polícia Civil, o suspeito dirigia o veículo Peugeot cinza, usado no dia do latrocínio.

Suspeito foi preso nessa segunda-feira no bairro da Cohab (Foto: Divulgação)

Foi preso mais um envolvido no latrocínio (roubo que resulta em morte) do tenente-coronel da Polícia Militar, Ronilson Gomes Pinto. O crime ocorreu no dia 28 de janeiro deste ano, na porta da casa do militar, no Residencial Pinheiros, em São Luís.

O suspeito, identificado como Leonardo Matos Brandão, foi capturado no bairro da Cohab, no momento em que saía da residência da mãe dele, na tarde de ontem (5). Era ele, segundo a Polícia Civil, quem dirigia o veículo, um Peugeot cinza, usado no dia do latrocínio do tenente-coronel.

Segundo o delegado Felipe César, da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), que investiga o caso, a polícia já o havia identificado como participante do crime e o procurava há bastante tempo. Contra ele, foi cumprido um mandado de prisão temporária.

“O suspeito já responde por alguns crimes de roubo e tem como característica fazer os levantamentos dos possíveis alvos. Fora ele estar guiando o veículo no dia, ele também teria feito o levantamento daquele local para escolher residências suscetíveis, mas a ação acabou culminando com a morte do tenente-coronel”, explicou o delegado, ressaltando que o preso também é responsável por conseguir os carros e até armamentos para o cometimento dos mais diversos crimes.

Depois de capturado, o indivíduo foi conduzido à sede da SHPP, na Avenida Beira-Mar, onde prestou depoimento e, em seguida, encaminhado ao Centro de Triagem de Pedrinhas.

Vale destacar que o dono do automóvel utilizado na ação e abandonado pelos autores, logo depois, foi preso seis dias depois. Leonardo Souza, de 30 anos, morador da Maiobinha, que inicialmente era apontado como motorista durante o latrocínio, teria alugado o carro para o suspeito preso nessa segunda-feira.

Ele não tem envolvimento direto, entretanto permanece preso. Em desfavor dele, há outros mandados de prisão, inclusive por roubo.

Ainda de acordo com o delegado, dois dos suspeitos ainda estão foragidos e a polícia continua trabalhando para prendê-los.

RELEMBRE O CASO

O tenente-coronel da Polícia Militar, Ronilson Gomes Pinto, foi assassinado, após reagir a um assalto na porta de sua casa, localizada na Rua três, do Residencial Pinheiros, no dia 28 de janeiro deste ano.

De acordo com informações da perícia, ele foi atingido com pelo menos seis tiros. Os suspeitos chegaram em um Peugeot cinza, abandonaram o carro e fugiram a pé levando a pistola da vítima, que ainda não foi localizada

Carregando