Fechar
Buscar no Site
O ÓRGÃO DAS MULTIDÕES

Corpo carbonizado é encontrado dentro de um carro na BR-226, em Timon

O veículo ficou totalmente destruído, e a perícia constatou que a vítima estava com o crânio e as pernas quebradas.

O carro ficou completamente destruído (Foto: Brunno Suênio/GP1)

O corpo de um homem ainda não identificado foi encontrado carbonizado dentro de um carro na manhã desta sexta-feira (14), na rodovia BR-226, em Timon-MA, distante 428 km de São Luís. O carro ficou totalmente destruído, e a perícia constatou que a vítima estava com o crânio e as pernas quebradas.

A Polícia Militar encontrou o corpo ainda nas primeiras horas desta sexta, próximo ao Anel Viário de Timon, e isolou o local até a chegada da perícia criminal. Segundo o perito José Carlos Cunha, o homem foi encontrado no banco traseiro do veículo e estava totalmente carbonizado.

“Encontramos esse corpo no banco traseiro do carro. Como teve uma alta temperatura dentro do veículo, isso pode ter vindo a consumir um pouco do crânio e do fêmur dele. Recolhemos todo o material e vamos para o IML fazer as análises. A posição do corpo está indicando que ele foi trazido para cá e depois alguém veio a queimar o veículo. Vamos ver também se ele morreu antes ou depois de ser queimado”, declarou o perito.

O delegado Antônio Valente, do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Timon, ressaltou que ainda não há informação de carro roubado na região e que a investigação sobre o caso será realizada a partir da identificação do veículo e do proprietário.

“O que nós temos é que foi encontrado esse carro queimado na manhã de hoje com um corpo dentro. Segundo os peritos, o corpo está totalmente carbonizado com alguns ossos quebrados, e não se sabe se é por alguma ação contundente ou ação do fogo. Estamos tentando identificar o carro para assim identificar o proprietário. Fomos acionados por volta de 8h e logo depois acionamos a perícia e o IML”, relatou o delegado.

O Instituto de Medicina Legal (IML) de Timon removeu o corpo do local e a Polícia Civil do Maranhãovai investigar o caso.

Carregando