Em Itapiranga, no Amazonas, a Polícia Civil cumpriu um mandado de prisão preventiva contra um médico de 60 anos por suspeita de estupro a um adolescente de 13 anos. O crime teria ocorrido na própria unidade hospitalar do município, no dia 8 de abril. As informações foram apuradas pelo portal Manaus Alerta.

Segundo o delegado Aldiney Nogueira, titular da 38ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP), as investigações começaram assim que a mãe da vítima denunciou o abuso sexual contra o filho ocorrido durante atendimento médico.

“O adolescente relatou aos policiais que o homem o levou para trás do biombo da sala de atendimento, afirmando que iria realizar alguns exames nele, e aproveitou a ocasião para tocar em suas partes íntimas. Após tomarmos conhecimento do caso, iniciamos as diligências e ouvimos testemunhas e servidores do hospital. Constatamos que o médico já vinha sofrendo denúncias deste teor há pelo menos 30 anos”, informou Nogueira.

Segundo as informações, quando os agentes tomaram conhecimento de quem seria o autor do crime, viram que ele já havia sido preso em flagrante no dia 12 de abril deste ano, no município de São Sebastião do Uatumã (a 247 quilômetros de Manaus), pelo estupro de um adolescente de 16 anos, também após atendimento médico.

“Nessa ocasião, o médico teria convidado a vítima para o hotel em que estava hospedado, sob a alegação de que compraria um remédio para ele, e o levou para o quarto onde praticou o estupro”, afirmou o policial.

A ordem de prisão preventiva foi expedida no dia 20 de maio pela juíza Tânia Mara Granito, da Comarca de Itapiranga, e o médico irá responder por estupro de vulnerável.